Cursos 2017/18

Cada seminário é identificado por dois códigos.  Os alunos de mestrado deverão inscrever-se usando o primeiro código; os de doutoramento, o segundo. 
Os Seminários de Orientação passaram a chamar-se Seminários de Investigação. 
Os seminários têm lugar na sala 6/5, excepto o Seminário de Investigação II, na sala 5/2.

 

911535/913605. Introdução ao Estudo Avançado da Literatura

913598/913605. Tópicos de Teoria Literária  (12ECTS, S1, 2ªf, 10:00-13:00, João R. Figueiredo)

A Recherche de Proust

O seminário parte da afirmação de Proust, citada pela sua governanta, Céleste Albaret, de que Charlus/Montesquiou era “le noyau de [s]on affaire”. Indagando a centralidade absoluta que a "raça maldita" dos homossexuais ocupa na Recherche e o investimento literário do autor na caracterização trágico-cómica dos habitantes de Sodoma, o objectivo do seminário consiste em apresentar uma descrição unitária do romance que integre os vários temas (a memória, a percepção do tempo, o snobismo, o amor e o ciúme, a relação entre a vida e a arte, etc.) num todo orgânico regido por aquele núcleo. É requerida a leitura integral da Recherche numa língua qualquer.

 

913602/913611. Tópicos de Teoria Literária (12ECTS, S1, 3ªf, 15:00-18:00, Ângela Fernandes

Geografias literárias

O objectivo do seminário será o de reflectir sobre os mecanismos conceptuais de identificação e delimitação seja de literaturas nacionais seja de campos de estudo seus conexos, prestando especial atenção à configuração histórica das áreas dos Estudos Hispânicos e dos Estudos Ibéricos.   O desafio radical à ideia de nacionalidade literária lançado por Ramón Gómez de la Serna em 1927 com a publicação de 6 falsas novelas repercute questões de diversa índole. Na sua época, a obra poderá ser entendida como elemento menor, mas não negligenciável, na discussão sobre os contornos das culturas hispânicas e ibéricas, tal como teorizadas por José Ortega y Gasset ou Fidelino de Figueiredo, entre outros. Já num contexto mais alargado, as novelas de Gómez de la Serna ocupam lugar proeminente numa linhagem de textos que manifestamente expõem a dimensão retórica de qualquer forma de geografia literária, e nesta linha procuraremos ler narrativas de Jorge Luis Borges, J.M. Coetzee ou Bernardo Carvalho.

 

913603/913612. Tópicos de Teoria Literária  (12ECTS, S1, 4ªf, 15:00-18:00, Teresa Bartolomei)

Tempos Bíblicos

Ultrapassando a vulgata da simplificação que contrapõe o tempo cíclico da civilização greco-romana ao tempo linear judaico-cristão, o seminário propõe-se reconstruir a efectiva pluralidade de perspectivas temporais que articulam a exposição bíblica da experiência humana individual e colectiva, existencial e histórica: o tempo do profeta é diferente do tempo genealógico, o tempo criatural é diferente do tempo messiânico, o tempo da Lei é diferente do tempo da Graça.  Reconhecer esta variedade pode ajudar-nos a perceber melhor aspectos e momentos fulcrais da auto-representação do homem ocidental até à actual crise conjunta das noções básicas de humanidade e de história.  Uma etapa central da nossa exploração dos textos testamentários serão as cartas paulinas, em que encontramos uma explícita formulação e justificação desse pluralismo temporal: a radical contingência da condição humana consiste também no facto de não haver um tempo único, cognitivamente e praticamente ‘obrigatório’, mas uma constelação de dimensões  temporais diferentes, complementares apesar de parcialmente contraditórias, entre as quais é possível, e devido, escolher.

 

913604/913613. Tópicos de Teoria Literária (12ECTS, S1, 5ªf, 10:00-13:00, Maria Sequeira Mendes)

Ler Shakespeare

Apesar de, em Shakespeare, o Rei Hamlet ser a única personagem envenenada pela orelha, há muitas outras que sucumbem às insinuações ou às afirmações dos vilões, deixando que o ouvido as engane. Poder-se-ia até afirmar que as tragédias, e algumas comédias, ilustram variações no modo como cada personagem é influenciada pelo ouvido (Othello, Macbeth, King Lear, Richard II, Brutus, Benedict e Beatrice), aniquila outros com a sua retórica (Richard III), ou não se deixa manipular (Hamlet, Coriolanus, Cordelia). Neste seminário, lêem-se algumas peças de Shakespeare à luz destas variações.

 

913599/913609.  Tópicos de Teoria Literária (12ECTS, S2, 3ªf, 15:00-18:00, Fotini Hadjittofi)

O sublime na antiguidade clássica

Segundo a communis opinio na área dos Estudos Clássicos, o sublime como um conceito retórico-literário apareceu de repente no século I a.C. O único tratado a sobreviver sobre este tema da antiguidade grega e romana, chamado (por convenção) o Peri hupsous (“Sobre o Sublime”) de “Longino”, é um texto curioso, sem data exacta ou autor certo. O seu único precedente, mas que não sobreviveu, é um trabalho que data do último terço do século I a.C. Juntos, estes dois trabalhos parecem ter canonizado, se não cunhado, o termo crítico grego para o sublime: hupsos. Será que o conceito do sublime não existia antes dessa data? Este seminário usará o tratado de “Longino” como uma chave para entender como o sublime permeia géneros e autores tão diversos como Homero e Safo ou Píndaro e Demóstenes.

 

913600/913610. Tópicos de Teoria Literária  (12ECTS, S2, 4ªf, 15:00-18:00, Lisa Botshon)

Wham! Bang! Pow! Theories of Graphic Storytelling 

In recent years, graphic stories or long-form comics have become an increasingly visible and well-regarded part of mainstream culture, reviewed in major newspapers and featured on the shelves of bookstores. Major publishing houses now publish such works, while both school and public libraries are building graphic story collections, highlighting the importance of this multimodal medium. Through readings, discussion, and writing, students in Wham! Bang! Pow! will investigate the possibilities of word and image in contemporary graphic stories. In particular, we will explore the following questions: How do writers and artists create meaning through the interaction of words and images? How does the sequential nature of comics work to create meaning and structure narrative? What is the relationship in these texts between the writer and their social context? In pursuing these and other questions, we will read a range of graphic stories as well as the expanding critical literature in the field. 

 

913601/913611. Tópicos de Teoria Literária (12ECTS, S2, 6ªf, 10:00-13:00, António M. Feijó)

Poesia Portuguesa Moderna

Os participantes serão convidados a ler extensivamente a obra de alguns poetas – de Antero de Quental e António Nobre a Teixeira de Pascoaes, Fernando Pessoa e José Régio, e, como fim de série, Ruy Cinatti, Mário Cesariny e Ruy Belo – e a reavaliar descrições correntes do que é “poético” e do que é “canónico”.

 

913596/913606. Seminário de Investigação I   (12/30ECTS, S1, 6ª, 10:00-13:00, João R. Figueiredo)

Projectos de Tese

Este seminário será organizado a partir da discussão de exposições orais dos participantes. As exposições ocupar-se-ão, de uma forma preliminar, de tópicos que os participantes se proponham desenvolver nas suas dissertações. As discussões visarão a modificação desses tópicos. O objectivo final do seminário é a produção, por parte dos participantes, de um resumo escrito e pormenorizado, das suas futuras dissertações.

 

913597/913607. Seminário de Investigação II  (30ECTS, S2, horário a anunciar, João R. Figueiredo)

Colóquios de Tese: As Teses da Teoria.

Neste seminário, os participantes (ocupados já com a elaboração das suas teses), apresentam ao grupo, e discutem, em conferências públicas, os resultados ou os pontos de vista que forem elaborando.