Projeto da UNIARQ destacado em reportagem do “Público”

uniarq azambujaO jornal “Público” destacou, em reportagem publicada no passado dia 7 de agosto, “Vila Nova de São Pedro, de novo – no 3º milénio” (VNSP 3000), um projeto interdisciplinar do Centro de Arqueologia da ULisboa (UNIARQ) e da Associação dos Arqueólogos Portugueses (AAP), que conta com o apoio da Fundação para Ciência e Tecnologia (FCT).

Após cerca de 30 anos de interregno, Vila Nova de São Pedro, uma localidade do concelho da Azambuja, voltou a receber trabalhos arqueológicos no denominado “Castelo de Vila Nova de São Pedro”, um povoado da Idade do Cobre com relevância para o estudo da pré-história em Portugal e cujo “estado de esquecimento em que estava era motivo de tristeza para uns e de indignação para outros”, como afirmou ao jornal “Público” Mariana Diniz, investigadora da UNIARQ e Professora Auxiliar da Faculdade de Letras da ULisboa (FLUL).

Durante três semanas do passado mês de julho, alunos de Licenciatura e de Mestrado da FLUL em conjunto com os arqueólogos associados ao projeto, entre outros participantes, procederam a vários trabalhos neste sítio arqueológico, de modo a protegê-lo e a prepará-lo para futuras campanhas e visitas. As próximas atividades do projeto serão realizadas em colaboração com outras áreas científicas, envolvendo “desde a prospecção geofísica até perfurações geológicas”, revela Mariana Diniz, no mesmo artigo.

O projeto VNSP 3000 tem como principais objectivos a valorização científica, patrimonial e social deste complexo povoado fortificado e conta, também, com o apoio da Câmara Municipal da Azambuja e da União das Freguesias de Manique do Intendente, Vila Nova de São Pedro e Maçussa, concelho de Azambuja.

Leia o artigo do “Público” disponível, aqui. Acompanhe o projeto através da página de Facebook.

Abertura do Ano Académico e receção aos novos estudantes da ULisboa agendadas para dia 20 de setembro

aaa ulisboaNo início do próximo ano letivo, a Universidade de Lisboa irá promover, por ocasião da Abertura do Ano Académico de 2017/2018, um evento de receção aos novos estudantes, a ter lugar no dia 20 de setembro.

A iniciativa, organizada pela Reitoria da ULisboa, em conjunto com as Associações de Estudantes e os Serviços de Ação Social da Universidade, terá início às 11 horas e incluirá ofertas de boas-vindas e uma Sunset Party, com concertos com Djs, atuação de bandas e de tunas a partir das 17 horas, entre outras atividades dirigidas a toda a comunidade académica, e, em especial, aos alunos que ingressam, este ano, na ULisboa.

O evento pretende aproximar toda a comunidade da Universidade de Lisboa, assinalando este significativo momento de início do novo ano académico.

A sessão solene de Abertura do Ano Académico da Universidade de Lisboa está agendada para as 15h30, na Aula Magna da Reitoria.

 

 

Para mais informações, consulte o website da ULisboa.

Alunos de Arqueologia da FLUL na Escola de verão da Cidade de Ammaia 2017

ammaia escola2017A primeira fase da Escola de verão da Cidade de Ammaia 2017, inserida no semestre de verão da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL), terminou no final do passado mês de julho.

As ruínas da cidade romana e as instalações da Fundação Cidade de Ammaia constituem um dos vários locais onde os estudantes de Arqueologia da Faculdade de Letras podem realizar aprendizagem prática, estando a frequência desta Escola enquadrada nas Unidades Curriculares de “Trabalho de Campo” e “Laboratório” (I e II) da Licenciatura em Arqueologia e de “Trabalho de Campo” do Mestrado em Arqueologia.

Para além do trabalho de campo e do tratamento, inventário e classificação dos materiais arqueológicos e da informação gerada, a Escola de Verão inclui aulas, conferências e visitas de estudo a sítios arqueológicos. Na primeira fase, agora concluída, os participantes puderam visitar o Museo Nacional de Arte Romano de Mérida, o Teatro e Anfiteatro de Mérida e o Núcleo Museológico do Teatro Romano de Medellín, em Espanha. A visita guiada foi conduzida pelo Professor Carlos Fabião, coordenador do projeto científico de Ammaia, docente da FLUL e diretor do Centro de Arqueologia da ULisboa- UNIARQ.

O amplo programa de formação da Escola de verão da Cidade de Ammaia, que soma, já, cinco edições, tem proporcionado não apenas a participação de estudantes da FLUL, mas, também, o envolvimento de outras universidades portuguesas e estrangeiras, nomeadamente da Universidade de Évora (parceira institucional da Fundação Cidade de Ammaia), das Universidades de Granada e de Sevilha, e ainda de universidades brasileiras, sublinhando a amplitude e o impacto internacional deste projeto.

A Fundação Cidade de Ammaia nasceu no início década de 1990 com o objetivo de investigar, conservar, valorizar e divulgar esta cidade romana, que se constitui como o mais importante vestígio arqueológico da sua época na região do norte alentejano. A Universidade de Lisboa, a Faculdade de Letras e o Centro de Arqueologia da ULisboa- UNIARQ integram esta Fundação enquanto instituições parceiras.

 

Na imagem: estudantes da Escola de Verão Cidade de Ammaia 2017 (primeira fase) durante a visita ao Teatro Romano de Medellín (Espanha) 
Foto: Todos os direitos reservados

Prémios Científicos ULisboa/ CGD 2017

cgdO Júri dos Prémios Científicos Universidade de Lisboa/ Caixa Geral de Depósitos acaba de divulgar a lista de Premiados e de Menções Honrosas atribuídos na edição de 2017.

Os Prémios, instituídos pela ULisboa em colaboração com a Caixa Geral de Depósitos, têm como propósito premiar a atividade de investigação científica e incentivar a prática de publicação em revistas internacionais de reconhecida qualidade.

A Prof.ª Doutora Marina Vigário, investigadora do Centro de Linguística da ULisboa (Laboratório de Fonética) e Professora Associada da Faculdade de Letras (Departamento de Linguística) foi distinguida com uma Menção Honrosa, na área de Ciências da Linguagem.

Consulte a Lista de Premiados disponível no website da ULisboa.

Candidatura à bolsa de Formadores de PLE do ICLP

O Instituto de Cultura e Língua Portuguesa (ICLP) encontra-se a aceitar até ao final de setembro candidaturas à sua bolsa de formadores de Português Língua Estrangeira. Os interessados poderão aceder a mais informações sobre a candidatura no link abaixo:

http://www.iclp.letras.ulisboa.pt/Paginas/Pt/bolsa_formadores.html

FLUL promove primeiro curso de verão de nepalês

estudos asiaticosDecorreu, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL), até ao passado dia 29 de julho, um curso de verão de nepalês (nível 2), promovido no âmbito dos Estudos Asiáticos. Trata-se do primeiro curso desta língua asiática realizado na FLUL.

O curso, que teve início no dia 17 de julho, foi lecionado pelo Professor Laxmi Nath Shrestha, docente com vasta experiência de ensino das línguas e culturas nepalesa e newari no Nepal e em várias universidades europeias, entre as quais a Universidade de Heidelberg onde tem organizado um curso de verão de iniciação ao nepalês desde 2002. 

nepal 3 1Tendo como propósito o aprofundamento de conhecimentos adquiridos a um nível básico, o curso foi ministrado de forma intensiva, incluindo 68 horas de contacto e conferindo 2 créditos ECTS. Sendo particularmente destinado a investigadores, trabalhadores em organizações internacionais e ONG (organizações não governamentais), e a outros interessados na área dos estudos da Ásia do Sul, este curso de verão foi frequentado por seis alunos oriundos da Alemanha, do Canadá, de Espanha e de Portugal.




Foto: composição a partir de "The Nepal Documentary" (YouTube)