O Curso de Ciências da Linguagem celebrou esta manhã 30 anos de existência, numa sessão comemorativa no Anfiteatro IV da FLUL em que estiveram presentes vários alumni, alunos, antigos e atuais docentes do curso.

imig 5672A sessão organizada por docentes/ alumni e por atuais alunos do curso, que contou com a presença de cerca de 70 participantes, foi o momento escolhido para assinalar o trajeto de uma licenciatura inovadora em Portugal no momento da sua criação: o Curso de Linguística.

A Professora Doutora Marina Vigário, do Departamento de Linguística Geral e Românica da FLUL, e que fez parte da organização do evento, destacou que “este foi um curso que teve um elenco de disciplinas todo ele interessante, lecionadas por docentes que ficaram na nossa memória, professores brilhantes”. Ivo Castro, João Malaca Casteleiro, Fernando Martins, João Peres, Luísa Figueira, Raquel Delgado Martins e Luís Filipe Lindley Cintra foram apenas alguns dos docentes lembrados. Os participantes concordaram que com estes docentes aprenderam muito mais do que as matérias que ensinaram e, por isso, lembraram algumas das suas frases emblemáticas: “não há idade para parar”, “o conhecimento não se transmite, adquire-se” ou “os princípios da gramática cabem na palma de uma mão”.

img 5710As professoras Isabel Faria, que idealizou o Curso de Linguística, e Inês Duarte, que o implementou na FLUL, lembraram memórias de um trajeto único feito pelo curso na Academia em Portugal. A Professora Doutora Isabel Faria disse que na origem do curso esteve uma vontade de “reconhecer a Linguística como ciência na Universidade de Lisboa”. Atualmente, acentuou, “há novos desafios para responder, nomeadamente, o que fazer com as Ciências da Linguagem, tarefa que compete aos actuais alunos descobrir”.

A Professora Doutora Inês Duarte recuperou a Portaria 620/87 de 18 Julho, referente à criação do Curso de Linguística, para lembrar “as boas discussões” que resultaram no Curso. A docente deixou, ainda, uma sugestão aos atuais alunos: “continuem a ousar discordar”.

Como antigas alunas representantes do primeiro ano do Curso de Linguística, as docentes Nélia Alexandre e Isabel Falé recordaram que aquela foi uma licenciatura que em 1987 “começou com vinte e cinco alunos e só nove chegaram ao fim em 1991”. Desses nove, todos se mantiveram na área. Em 1987 era pouca a informação e a surpresa “de um curso com franca abertura” surpreendeu Isabel Falé. A Professora Doutora Nélia Alexandre sublinhou a qualidade do corpo docente, sendo “impossível esquecer o silêncio das aulas com o Professor Lindley Cintra”.

img 5693O atual Secretário de Estado da Educação, João Costa, alumnus de Linguística também presente na sessão comemorativa, destacou a amizade que sente pela FLUL, instituição onde se sente sempre em casa. João Costa escolheu o curso sem ter muita informação: “quando me candidatei não fazia a mínima ideia sobre o que era o curso e, depois, descobri aqui um curso magnífico e uma grande proximidade com professores. Éramos as suas cobaias na investigação! Muitos dos meus professores continuam a ser as minhas referências na Linguística, sem esquecer a consciência politica que encontrei na FLUL, devendo a esta casa algum arrumar e desarrumar de ideias”.

Depois das intervenções de atuais alunos do curso, que expressaram o seu gosto pela área, a atual diretora do Curso de Ciências da Linguagem, Professora Doutora Madalena Colaço, lembrou que as vagas anuais se esgotam a cem por cento, prova do interesse que o curso continua a despertar entre os alunos.

Texto e Fotografia: Tiago Artilheiro (FLUL-DRE, Núcleo de Imagem, Comunicação e Relações Externas)