Projeto da UNIARQ destacado em reportagem do “Público”

uniarq azambujaO jornal “Público” destacou, em reportagem publicada no passado dia 7 de agosto, “Vila Nova de São Pedro, de novo – no 3º milénio” (VNSP 3000), um projeto interdisciplinar do Centro de Arqueologia da ULisboa (UNIARQ) e da Associação dos Arqueólogos Portugueses (AAP), que conta com o apoio da Fundação para Ciência e Tecnologia (FCT).

Após cerca de 30 anos de interregno, Vila Nova de São Pedro, uma localidade do concelho da Azambuja, voltou a receber trabalhos arqueológicos no denominado “Castelo de Vila Nova de São Pedro”, um povoado da Idade do Cobre com relevância para o estudo da pré-história em Portugal e cujo “estado de esquecimento em que estava era motivo de tristeza para uns e de indignação para outros”, como afirmou ao jornal “Público” Mariana Diniz, investigadora da UNIARQ e Professora Auxiliar da Faculdade de Letras da ULisboa (FLUL).

Durante três semanas do passado mês de julho, alunos de Licenciatura e de Mestrado da FLUL em conjunto com os arqueólogos associados ao projeto, entre outros participantes, procederam a vários trabalhos neste sítio arqueológico, de modo a protegê-lo e a prepará-lo para futuras campanhas e visitas. As próximas atividades do projeto serão realizadas em colaboração com outras áreas científicas, envolvendo “desde a prospecção geofísica até perfurações geológicas”, revela Mariana Diniz, no mesmo artigo.

O projeto VNSP 3000 tem como principais objectivos a valorização científica, patrimonial e social deste complexo povoado fortificado e conta, também, com o apoio da Câmara Municipal da Azambuja e da União das Freguesias de Manique do Intendente, Vila Nova de São Pedro e Maçussa, concelho de Azambuja.

Leia o artigo do “Público” disponível, aqui. Acompanhe o projeto através da página de Facebook.