Comissão de Avaliação Interna

Presidente

Professora Doutora Paula Morão

Docentes

Prof. Doutora Ana Leal de Faria

Prof. Doutora Marina Vigário

Estudante

Doutora Ana Catarina Salgado Basílio 

Director Executivo

Doutor Ricardo Reis
 

Missão

Órgão estatutário, de acordo com o Art. 57 dos Estatutos da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, de 17 de Setembro de 2013, a CAI tem por objectivo a dinamização e cumprimento dos trabalhos de avaliação interna e de garantia da qualidade da FLUL, em articulação com os dispositivos da Universidade de Lisboa para esse efeito, conforme o Art.5 dos Estatutos da Universidade de Lisboa, homologados a 18 de Abril de 2013. A sua missão desenvolve-se no sentido de contribuir para uma cultura de exigência e de mérito para que a FLUL possa cumprir cabalmente a grande finalidade de, através do ensino e da investigação, integrar os seus estudantes nas tradições de conhecimento e debate dos vários campos que constituem as Humanidades, segundo os ideais de uma educação tolerante, independente e livre, sem a qual não existe uma verdadeira Universidade.

Objectivos

A. Em articulação com a direcção da FLUL, a CAI deve contribuir para:

1. A definição da visão estratégica da instituição (missão, objectivos, prioridades) e da sua política de ciência.
2. A organização do sistema de garantia da qualidade em articulação com a Reitoria da Universidade de Lisboa.
3. O desenvolvimento de uma cultura de qualidade em todas as unidades e funções da escola.
4. A responsabilização das áreas, departamentos e outras unidades organizacionais para a garantia da qualidade.
5. O envolvimento dos alunos na garantia da qualidade.
6. O desenvolvimento de uma política concreta que suporte e acompanhe a empregabilidade dos graduados.
7. A definição de acções para aumentar o número de estudantes estrangeiros e a mobilidade dos estudantes nacionais, assegurando equivalência de créditos.
8. O desenvolvimento de estratégias de formação ao longo da vida.

B. Em articulação com os directores de Área, de Departamento e de Curso, a CAI deve contribuir para:

9. A motivação de docentes e discentes para uma participação activa no processo de avaliação, fazendo melhor uso dos questionários.
10. O estímulo à partilha de experiências e práticas pedagógicas entre docentes, nomeadamente organizando acções concretas tendo em devida conta as novas abordagens que o paradigma de Bolonha implica.
11. A integração dos alunos nos projectos dos centros de investigação.
12. A ampliação de parcerias com um maior número de instituições externas de forma a encontrar mecanismos de acreditação da formação prática dos alunos.
13. A análise da relevância dos curricula em termos também da sua empregabilidade.
14. A definição de critérios de oferta de unidades curriculares opcionais no sentido de promover a interdisciplinaridade dos cursos.
15. O desenvolvimento de acções no sentido de garantir uma maior articulação entre os conteúdos das unidades curriculares de cada curso.
16. Reflexões periódicas sobre a oferta dos cursos e unidades curriculares ministradas, ou a ministrar, na FLUL.
17. A utilização dos inquéritos dos estudantes para reavaliar a consistência entre os créditos ECTS, resultados da aprendizagem e a carga de trabalho real sustentada pelos alunos.
18. O estabelecimento de critérios de avaliação, claros e publicados, projectados para medir a realização dos objectivos do programa e dos resultados da aprendizagem.

C. Em articulação com os vários serviços da FLUL, a CAI deve contribuir para:

19. A disponibilização de uma informação objectiva e imparcial, quantitativa e qualitativa sobre os diversos cursos da FLUL:

- Os programas e as qualificações que fornecem;

- O ensino, a aprendizagem e os procedimentos de avaliação utilizados;

- Indicadores do percurso académico dos alunos;

- A empregabilidade dos antigos alunos.

20. A promoção de uma cultura de qualidade em todos os serviços da FLUL, com particular ênfase nos recursos humanos, na promoção da imagem, no desenvolvimento da investigação e na gestão dos espaços.