Programa em Estudos Comparatistas

Estudantes

Doutorandos

 

Admitidos em 2020/2021

  • Elisa Rossi 

Bolseira FCT - CEC 

Tutora: Prof.ª Marta Pacheco Pinto

 

  • Francisco Marques

Bolseiro FCT - CEC 

Tutora: Prof.ª Helena Buescu 

 

  • Maria Francisca Alvarenga

Tutora: Prof.ª Luísa Afonso Soares

 

  • Melquisedeque Muniz de Melo

Tutora: Prof.ª Inocência Mata

 

 

 

Admitidos entre 2015/2016 e 2019/2020: PhD-COMP

 

 

 

Seminários 2019/2020

Mestrado

1.º semestre

 

Tópicos em Comparatismo 1, 12 ECTS – José Pedro Serra

Conflitos, Contradições, Aporias

1. Epopeia e anti-epopeia. Análise de excertos dos seguintes textos: Homero, Ilíada; Homero, Odisseia; Vergílio, Eneida; Camões, Lusíadas.

2. Categorias da tragédia: o trágico e o antitrágico. Análise dos seguintes textos: Ésquilo, As SuplicantesA oresteia; Sófocles, Electra; Séneca, Tiestes; Shakespeare, Hamlet; Racine, Phèdre; Beckett, En attendant Godot.

3. O Romance: Léon Tolstoi, Guerra e Paz (excertos); Leonardo Padura, El hombre que amaba a los perros (O homem que gostava de cães).

4. O discurso filosófico e religioso. Análise dos seguintes textos: Platão, República, 509d - 517c. (alegoria da linha e alegoria da caverna); Bíblia, Livro do Êxodo, Livro de Job Carta de S. Paulo aos romanos (excertos), Carta de S. Paulo aos Coríntios I e II (excertos), Evangelho S. João (excertos); S. João da Cruz, Subida del Monte Carmelo (excertos).

 
 
 

Tópicos em Comparatismo 2, 12 ECTS – Luísa Afonso Soares

Materialidades da memória na literatura, no cinema e na fotografia

Este seminário tem como objectivo analisar a representação das materialidades da memória na literatura, no cinema e na fotografia, nos respectivos contextos espácio-temporais. Considerar-se-ão as memórias inscritas nos objectos, nas paisagens, nos monumentos ou ruínas, nos quais de uma forma ou outra se inscrevem ou deles emanam emoções e afectos. Será dada relevância aos seguintes tópicos: Cultura material, memória e esquecimento; Dimensão afectiva dos meios e das práticas de memória; Corporização da violência e trauma; Cultura material, memória e emigração; Transmissão intergeracional da memória material; Objectos testemunhais/museológicos e ética. Será necessariamente adoptada uma perspectiva transnacional e transcultural, porque, como a humanidade, também os produtos e as práticas culturais viajam, atravessam ou diluem fronteiras.

 



2.º semestre

 

 

Tópicos em Comparatismo 3, 12 ECTS – Ângela Fernandes

Experimentar e conhecer: problemas artísticos

O seminário pretende explorar as noções de conhecimento e de experimentação a partir da análise comparada de representações artísticas que directamente convocam e discutem diferentes formas de conhecer e experimentar. Serão estudadas obras de arte em que se apresentam e problematizam diversos aspectos destas práticas, nomeadamente: o auto-conhecimento; o conhecimento do mundo natural e o “método científico”; as implicações éticas e os limites da experiência e da busca do saber; o conhecimento histórico e a memória colectiva; a arte como experimentação e como forma de acesso ao saber. Principais obras em estudo: La vida es sueño, de Pedro Calderón de la Barca; The island of Dr. Moreau, de H.G. Wells; narrativas breves de Ramón Gómez de la Serna e Jorge Luis Borges; Copenhagen, de Michael Frayn; os filmes Nostalgia de la luz El botón de nácar, de Patricio Guzmán. 

 

 

Estudos Inter-artes, 12 ECTS – Claudia Fischer

Música e Literatura sob o signo do Romantismo Alemão

No seu texto "Estados eróticos imediatos ou o erótico musical" S. Kierkegaard afirmava que, enquanto forma de comunicação conceptual, a linguagem verbal nunca conseguirá estar à altura da capacidade de expressão imediata inerente à música, constatando por isso uma grande dificuldade da linguagem em descrever e expressar o que acontece em música. Partindo de textos seminais do Romantismo Alemão, veremos como autores literários tentaram quebrar essa barreira. Investigaremos diferentes tipos de relação entre música e literatura, examinando como, no período em questão, convergiram, se influenciaram mutuamente e/ou proporcionaram a criação de novas formas, que, caracterizando o movimento em que se inserem, se propagaram também para além das suas fronteiras linguística e temporal. Os autores em que nos focaremos serão, entre outros, Novalis, Hoffmann, Tieck, Wackenroder, Goethe, Kleist, Schiller, Nietzsche. 

 

 

Seminário de Opção, 12 ECTS – Simão Valente

Literatura e Política do Modernismo Tardio

Este curso pretende examinar o entrecruzar da experimentação linguística modernista com os desenvolvimentos históricos e políticos das décadas de 20 e 30, abrangendo representações literárias desse período escritas ou publicadas em décadas posteriores. Privilegia-se na primeira metade do semestre o contexto italiano, tendo em conta o lugar especial que este ocupa no período em questão, o que incluirá compreender a herança decadentista. Num segundo momento olhar-se-á para um panorama mais vasto, que toque em desenvolvimentos em Portugal, França, e mais além no caso de Elias Canetti. A herança do romance de formação e da autobiografia ou discurso autobiográfico será uma companhia constante. Textos em estudo: Gabriele D’Annunzio, O Triunfo da Morte; Marinetti e o Futurismo; Alberto Moravia, O Conformista; Natalia Ginzburg, Léxico Familiar; Louis Ferdinand Céline, Viagem ao Fim da Noite; Jorge de Sena, Sinais de Fogo; Elias Canetti, A Língua Resgatada.

 

 

 

Doutoramento

1.º Semestre

Topics in Comparative Studies 1

Conspiracy: Theories and Practices – Helena Buescu

Topics in Comparative Studies 2

Memory and Space in Contemporary Literature – Fernanda Mota Alves

 

2.º Semestre

Topics in Comparative Studies 3

Gender Studies and Ecocriticism in the 21st century – Fernanda Gil Costa

Interarts Seminar

Storytelling and Non-Fiction in Comics/ Recording Life as Performative and Transformative Practice – Jan Baetens & Anneleen Masschelein (KULeuven)

 

 

 

 

 

 

 

 

Seminars 2021/2022

MA

1st semestre
  • Tópicos em Comparatismo 1
    Isabel Almeida e Rita Patrício - 3.ªf. 11.00 – 14.00

Dante na tradição: crítica e poesia

Longe de constituir um processo homogéneo ou linear, a canonização de um autor e da sua obra depende de múltiplos factores e participa das transformações que caracterizam a história da poética. O caso de Dante é disso exemplo. Começando pela comparação do lugar que na tradição literária e crítica, em Itália e em Portugal, lhe foi atribuído, procurar-se-á compreender, a par das leituras realizadas e da escrita daí resultante (v.g., poesia, traduções – literárias e intermediais –, ensaio), o texto que as suscita. Dois períodos – os séculos XVI-XVII; XIX-XX – serão especial objecto de atenção. Ao longo dos seminários, a discussão do corpus proposto (desde o Cancioneiro Geral até à poesia de António Osório, passando por Camões, Pascoaes, Pessoa ou Sena, entre outros) permitirá sugerir ainda novas hipóteses de desenvolvimento dos estudos dantescos. Que imagens convoca o nome de um autor como Dante? Que apropriações desperta a sua obra?

 

  • Tópicos em Comparatismo 2
    Marta Pacheco Pinto - 4.ªf. 15.30 – 18.30

Ficcionalizações contemporâneas de tradutores e da tradução

O que acontece quando os tradutores passam de agentes a objectos de representação? Neste seminário, reflectir-se-á sobre esta problemática através da discussão de obras de ficção em que a figura do tradutor/intérprete é personagem principal e a tradução, além de ofício ou meio de comunicação, se configura como expressão da condição humana e forma de estar ou de se procurar no mundo. As leituras, organizadas em torno de eixos temáticos, darão conta da diversidade de tópicos que este tipo de ficção explora: 

  • visibilidade/invisibilidade do tradutor;
  • corporização da experiência tradutória e do estranhamento linguístico;
  • noções de texto traduzido, autoria e criatividade literária;
  • (in)traduzibilidade e estratégias de tradução;
  • relação tradutor-autor e tradutor-editor;
  • ética tradutória;
  • metáforas da tradução e do tradutor.

Os textos a serem estudados incluem o filme O Primeiro Encontro (Arrival, dir. Denis Villeneuve, 2016) e os contos “With tongues” (2006) de David Gaffney, “Saint George and the translator” (2007 [1993]) de Yōko Tawada, “O intérprete” (1​995) e “Notas ao pé da página” (1995) de Moacyr Scliar e “Intérprete de enfermidades” (1999) de Jhumpa Lahiri, bem como os romances Rakushisha (2007) de Adriana Lisboa e A Noiva do Tradutor (2015) de João Reis.

 

  • Seminário de Investigação (S3)
    Helena Buescu - 4.ª feira, 12.30-14.00

O Seminário visa introduzir os mestrandos no conhecimento das ferramentas metodológicas essenciais para a investigação avançada em Estudos Comparatistas, tanto para a elaboração da tese de mestrado, como em tarefas inerentes à pesquisa científica e à actividade académica em geral (e.g. publicação de artigos e livros, participação e organização de encontros científicos, preparação de candidaturas).

 

2nd semestre
  • Tópicos em Comparatismo 3
    Ângela Fernandes - 3.ªf. 15.30 – 18.30

Entre arte e ciência: imaginação, experiência e conhecimento

Uma personagem da peça El cartógrafo, de Juan Mayorga (2010), pergunta: «¿qué es un mapa, ciencia o arte?». A mesma questão se coloca a propósito de diferentes práticas e diferentes objectos, nomeadamente aqueles em que parecem confluir processos que implicam uma complexa relação com o mundo. Pretende-se, neste seminário, analisar esta hesitação sobre como identificar diversos modos de busca e construção de conhecimento, em que se reconhecem ao mesmo tempo movimentos imaginativos, métodos experimentais ou gestos de invenção. A leitura comparada de um conjunto de textos permitirá discutir diferentes dimensões desta problemática: o auto-conhecimento e a identidade pessoal; o conhecimento histórico e a memória colectiva; o conhecimento do mundo natural e o “método científico”; as implicações éticas e os limites da experiência e da busca do saber; a arte como experimentação radical e invenção.

Principais obras em estudo: El cartógrafo, de Juan Mayorga; Copenhagen, de Michael Frayn; Waiting for the Barbarians, de J.M. Coetzee; os filmes Nostalgia de la luz, El botón de nácar, e La cordillera de los sueños, de Patricio Guzmán.

 

  • Seminário Interartes / Interarts Seminar
    Jan Baetens (KULeuven) e Donata Menegheli (U. Bologna)
    Intensive Seminar, in English: 17-23 February and 19-25 May 2022

Part 1: Illustration as “genre”

Jan Baetens (KU Leuven)

17-18 and 21-23 February 2022, 10:00-14:00.

This first part of the seminar will be divided in two moments, starting with a theoretical-historical approach on illustration as “genre” and its position in-between artist book and picture book. The discussion of the genre will focus on aspects such as book history, printing and medium issues, texts vs paratext (cover illustrations), narratology, and cultural history. We will discuss various types of literary works: narrative fiction, documentary writing, and poetry from different periods, in order to give as broad an overview as possible.

The students will be invited to give presentations of selected case studies. I will provide a first list (trying to avoid the usual suspects such as Alice in Wonderland), while giving the students the possibility to make a comparative analysis of these works with books from their own linguistic or cultural background. I will also provide some bibliographical information on the books they will have to study and present.

Part 2: Image/text, intermediality, and performativity: the example of Sophie Calle

Donata Meneghelli (U. Bologna)

19-20 and 23-25 May 2022, 10:00-14:00

This second part of the seminar will discuss the image/text relation, and the notions of intermediality and performativity (in a twofold meaning: as doing things with words and/or images, and as doing things that engender texts and/or images), starting from the work of French artist Sophie Calle (b. 1953). Calle’s work not only revolves around the constant interplay between language and the photographic image, but is unclassifiable as it oscillates between different domains: visual arts, performance, photography, or literature? Aesthetics or ethnography? Action or representation? Documentary research or expression? Fiction or reality? By perpetually crossing and blurring the borders of these domains, by staging concrete situations and games, by using different media/supports (exhibition, photo book, film, her own body and persona), as well as by questioning the dialectics between images and words, Calle has explored some paramount aspects of social life such as privacy, exposure, voyeurism and surveillance, collective and individual memory, money, the politics of love and gender relations.  

 

  • Seminário de Opção
    Duarte Braga - 5.ªf. 15.30 – 18.30

Modas, manias e filias da Ásia

Este seminário pretende explorar o gosto pelo “oriental” no âmbito do gosto pelo exotismo geográfico ou histórico enquanto fenómeno europeu e cosmopolita dos séculos XIX e XX. As estéticas mais conhecidas são a chinoiserie e a japonaiserie (aspetos da sinofilia e da nipofilia), assim como a indofilia, mas existem outras menos atendidas, com uma dimensão mais histórica, como a egiptomania e a assiriomania, ou o gosto por Bizâncio. Será estudada a forte presença destas estéticas na cultura material e popular: a decoração (biombos, porcelanas), a pintura, os trajes, bem como em textos sobretudo literários. O seminário propõe entender estas manias, modas e filias como alegorias de uma Europa espiritualmente esgotada, pelas afinidades que se evidenciam com os requintes de sociedades consideradas decadentes. Contudo, apreciar-se-á como a assimilação da Ásia foi sempre limitada por preconceitos vários e pela noção de superioridade administrativa e militar da Europa, em consonância com o imperialismo europeu da época.

As leituras incluem quer textos primários – de autores como Téophile Gautier, Eça de Queirós, Wenceslau de Moraes, Camilo Pessanha, Alberto Osório de Castro, Giacomo Puccini, Oscar Wilde, Fernando Pessoa e os modernistas portugueses, entre outros – quer ensaios críticos, de Edward Said, Victor Segalen, Alexander Macfie, António Hespanha, entre outros.

 

  • Seminário de Orientação (S4)
    Coord. Helena Buescu

O seminário visa o desenvolvimento da autonomia e das capacidades de investigação do mestrando com o objectivo de escrever a sua dissertação de mestrado em Estudos Comparatistas. A redacção da dissertação é acompanhada pelo(s) orientador(s) em trabalho tutorial.

 

PhD

1st semester
  • Tópicos em Estudos Comparatistas I
    Luísa Afonso Soares - 3.ªf. 15.30 – 18.30

Criar e Contestar Memórias: Literatura, Artes e Cidadania

Partindo das ideias de fragilidade e permeabilidade, este Seminário propõe-se pensar criticamente as dinâmicas da memória cultural em contextos políticos, sociais e mentais em transformação. Como se constitui a memória cultural, que critérios presidem à sua consolidação ou à sua contestação, o que garante a sua sobreviva, que meios e agentes viabilizam a mediação ou remediação de passados conflituantes e abrem caminho a um pensamento ético são algumas das questões que procuraremos seguir. Esta abordagem comparativa centrar-se-á em figurações da memória na Literatura e nas Artes contemporâneas, sem perder de vista a representação da memória no espaço público. Propõe-se ainda uma reflexão sobre a importância crescente dos media na “invenção de memórias”, nas políticas de memória e na contestação de formas simbólicas e práticas recordatórias inscritas na memória colectiva.

A Costa dos Murmúrios de Lídia Jorge e o filme homónimo de Margarida Cardoso, bem como Os Emigrantes de W.G. Sebald constituirão o corpus essencial deste seminário, ao qual se juntarão outros artefactos e práticas culturais, que de uma forma ou de outra constroem ou desconstroem a memória cultural.

 

  • Tópicos em Estudos Comparatistas II
    Everton V. Machado - 5.ªf. 15.30 – 18.30

O mito do harém na literatura e nas artes

Apesar de representarem tudo o que havia de «oriental» no Oriente, os aposentos destinados às mulheres no mundo islâmico sempre foram interditos ao olhar do viajante europeu do sexo masculino. Assim, muitos especialistas defendem dever ser investigada antes a relação da «imaginação» ocidental com o harém do que o suposto conhecimento dos ocidentais sobre este. Fazendo convergir ferramentas de estudo do domínio da Literatura Comparada, este seminário propõe uma travessia pelo imaginário do harém, com as suas odaliscas e concubinas, sob o «despotismo» do homem muçulmano. Perscrutar-se-á́ o tema desde o tópos do cativeiro na literatura medieval até às origens do sub-género «desert romance novel» (que se revitalizou no século XXI com o nome mais popular de «sheik romance»), passando, naturalmente, pelo período romântico (quando se cristalizou a ideia do harém tal como o conhecemos, pelas mãos de grandes escritores), e verificando a sua ressonância na pintura, na ópera e no cinema. Entre as obras de leitura fundamental, encontram-se Cartas Persas (1721) de Montesquieu e Nasci num Harém: As mil noites de Xerazade (1994) de Fatima Mernissi.

 

  • Investigação Avançada I (S3)
    Santiago Pérez Isasi - 4.ªf. 11.00 – 14.00

Este Seminário de Investigação visa oferecer aos estudantes as ferramentas metodológicas essenciais para desenvolver a sua investigação, tanto no que diz respeito à elaboração da tese de doutoramento em curso, como em outras tarefas inerentes à actividade académica e essenciais no campo da pesquisa (e.g., apresentação de papers, publicação de artigos e volumes, organização de colóquios, gestão de projectos, apresentação de candidaturas, etc.).

Os objectivos específicos são:

- Fornecer as ferramentas necessárias que permitam ao estudante desenvolver uma pesquisa autónoma, tanto durante o doutoramento como em fases posteriores;

- desenvolver a capacidade de apresentação dos resultados da pesquisa por parte do estudante, tanto no domínio da expressão oral como ao nível da escrita;

- fomentar a capacidade de o estudante reagir criticamente e de acordo com o nível avançado da sua formação a apresentações de outros.

 

2nd semester
  • Tópicos em Estudos Comparatistas III
    Claudia Fischer - 4.ªf. 15.30 – 18.30

Graça, génio e corpo. Uma perspectiva intermedial

Graça (em grego charis) é um conceito que, na continuidade de uma longa linha de descrições, ocupa um lugar relevante no debate setecentista europeu sobre estética. Se, na sua poética descrição do Torso de Belvedere, o arqueólogo Winckelmann a eleva a epítome da estética classicista, Friedrich Schiller desenvolve toda uma teoria da graça que irá constituir um dos alicerces do seu célebre programa de Educação Estética. O ideal de “beleza em movimento”, como Schiller a define, encontra a sua paisagem privilegiada no corpo humano. Já o conceito de génio, que se aproxima da descrição de graça por via da sua proverbial relação com uma dimensão sobre-humana, mereceu inúmeros estudos e representações literárias e artísticas nos séculos XVIII e XIX.

Neste seminário, observaremos como as ideias de graça (ou graciosidade) e de génio se manifestam na literatura e nas outras artes deste período e como a sua íntima relação com o corpo – evidenciada em descrições do sonâmbulo, do bailarino, do esgrimista, do louco, da marioneta – dará lugar a novas representações do artista, como, por exemplo, a do equilibrista na corda bamba projectado por Nietzsche no seu Zarathustra.

 

  • Seminário Interartes / Interarts Seminar
    Jan Baetens (KULeuven) e Donata Menegheli (U. Bologna)
    Intensive seminar, in English: 17-23 February and 19-25 May 2022.

Part 1: Illustration as “genre”

Jan Baetens (KU Leuven)

17-18 and 21-23 February 2022, 10:00-14:00.

This first part of the seminar will be divided in two moments, starting with a theoretical-historical approach on illustration as “genre” and its position in-between artist book and picture book. The discussion of the genre will focus on aspects such as book history, printing and medium issues, texts vs paratext (cover illustrations), narratology, and cultural history. We will discuss various types of literary works: narrative fiction, documentary writing, and poetry from different periods, in order to give as broad an overview as possible.

The students will be invited to give presentations of selected case studies. I will provide a first list (trying to avoid the usual suspects such as Alice in Wonderland), while giving the students the possibility to make a comparative analysis of these works with books from their own linguistic or cultural background. I will also provide some bibliographical information on the books they will have to study and present.

Part 2: Image/text, intermediality, and performativity: the example of Sophie Calle

Donata Meneghelli (U. Bologna)

19-20 and 23-25 May 2022, 10:00-14:00

This second part of the seminar will discuss the image/text relation, and the notions of intermediality and performativity (in a twofold meaning: as doing things with words and/or images, and as doing things that engender texts and/or images), starting from the work of French artist Sophie Calle (b. 1953). Calle’s work not only revolves around the constant interplay between language and the photographic image, but is unclassifiable as it oscillates between different domains: visual arts, performance, photography, or literature? Aesthetics or ethnography? Action or representation? Documentary research or expression? Fiction or reality? By perpetually crossing and blurring the borders of these domains, by staging concrete situations and games, by using different media/supports (exhibition, photo book, film, her own body and persona), as well as by questioning the dialectics between images and words, Calle has explored some paramount aspects of social life such as privacy, exposure, voyeurism and surveillance, collective and individual memory, money, the politics of love and gender relations.  

 

  • Investigação Avançada II (S4)
    Coord. Ângela Fernandes

O seminário visa a consolidação da autonomia e das competências de investigação dos doutorandos em Estudos Comparatistas, a ampliação do leque de referências no tópico de pesquisa escolhido, e a familiarização com as bases teóricas e metodológicas mais adequadas ao projecto de tese. Cada doutorando deverá: desenvolver pesquisa específica para o seu projecto doutoral, com o acompanhamento tutorial do(s) orientador(es); participar em actividades de investigação promovidas pelos grupos do Centro de Estudos Comparatistas, e em encontros científicos (colóquios, seminários, escolas de verão) relevantes para a sua pesquisa; apresentar e discutir o seu projecto de tese numa prova de qualificação, no final do semestre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Seminários 2021/2022

Mestrado

1.º semestre
  • Tópicos em Comparatismo 1
    Isabel Almeida e Rita Patrício - 3.ªf. 11.00 – 14.00

Dante na tradição: crítica e poesia

Longe de constituir um processo homogéneo ou linear, a canonização de um autor e da sua obra depende de múltiplos factores e participa das transformações que caracterizam a história da poética. O caso de Dante é disso exemplo. Começando pela comparação do lugar que na tradição literária e crítica, em Itália e em Portugal, lhe foi atribuído, procurar-se-á compreender, a par das leituras realizadas e da escrita daí resultante (v.g., poesia, traduções – literárias e intermediais –, ensaio), o texto que as suscita. Dois períodos – os séculos XVI-XVII; XIX-XX – serão especial objecto de atenção. Ao longo dos seminários, a discussão do corpus proposto (desde o Cancioneiro Geral até à poesia de António Osório, passando por Camões, Pascoaes, Pessoa ou Sena, entre outros) permitirá sugerir ainda novas hipóteses de desenvolvimento dos estudos dantescos. Que imagens convoca o nome de um autor como Dante? Que apropriações desperta a sua obra?

 

  • Tópicos em Comparatismo 2
    Marta Pacheco Pinto - 4.ªf. 15.30 – 18.30

Ficcionalizações contemporâneas de tradutores e da tradução

O que acontece quando os tradutores passam de agentes a objectos de representação? Neste seminário, reflectir-se-á sobre esta problemática através da discussão de obras de ficção em que a figura do tradutor/intérprete é personagem principal e a tradução, além de ofício ou meio de comunicação, se configura como expressão da condição humana e forma de estar ou de se procurar no mundo. As leituras, organizadas em torno de eixos temáticos, darão conta da diversidade de tópicos que este tipo de ficção explora: 

  • visibilidade/invisibilidade do tradutor;
  • corporização da experiência tradutória e do estranhamento linguístico;
  • noções de texto traduzido, autoria e criatividade literária;
  • (in)traduzibilidade e estratégias de tradução;
  • relação tradutor-autor e tradutor-editor;
  • ética tradutória;
  • metáforas da tradução e do tradutor.

Os textos a serem estudados incluem o filme O Primeiro Encontro (Arrival, dir. Denis Villeneuve, 2016) e os contos “With tongues” (2006) de David Gaffney, “Saint George and the translator” (2007 [1993]) de Yōko Tawada, “O intérprete” (1​995) e “Notas ao pé da página” (1995) de Moacyr Scliar e “Intérprete de enfermidades” (1999) de Jhumpa Lahiri, bem como os romances Rakushisha (2007) de Adriana Lisboa e A Noiva do Tradutor (2015) de João Reis.

 

  • Seminário de Investigação (S3)
    Helena Buescu - 4.ª feira, 12.30-14.00

O Seminário visa introduzir os mestrandos no conhecimento das ferramentas metodológicas essenciais para a investigação avançada em Estudos Comparatistas, tanto para a elaboração da tese de mestrado, como em tarefas inerentes à pesquisa científica e à actividade académica em geral (e.g. publicação de artigos e livros, participação e organização de encontros científicos, preparação de candidaturas).

 

 

2.º semestre
  • Tópicos em Comparatismo 3 
    Ângela Fernandes - 3.ªf. 15.30 – 18.30

Entre arte e ciência: imaginação, experiência e conhecimento

Uma personagem da peça El cartógrafo, de Juan Mayorga (2010), pergunta: «¿qué es un mapa, ciencia o arte?». A mesma questão se coloca a propósito de diferentes práticas e diferentes objectos, nomeadamente aqueles em que parecem confluir processos que implicam uma complexa relação com o mundo. Pretende-se, neste seminário, analisar esta hesitação sobre como identificar diversos modos de busca e construção de conhecimento, em que se reconhecem ao mesmo tempo movimentos imaginativos, métodos experimentais ou gestos de invenção. A leitura comparada de um conjunto de textos permitirá discutir diferentes dimensões desta problemática: o auto-conhecimento e a identidade pessoal; o conhecimento histórico e a memória colectiva; o conhecimento do mundo natural e o “método científico”; as implicações éticas e os limites da experiência e da busca do saber; a arte como experimentação radical e invenção.

Principais obras em estudo: El cartógrafo, de Juan Mayorga; Copenhagen, de Michael Frayn; Waiting for the Barbarians, de J.M. Coetzee; os filmes Nostalgia de la luz, El botón de nácar, e La cordillera de los sueños, de Patricio Guzmán.

 

  • Seminário Interartes / Interarts Seminar
    Jan Baetens (KULeuven) e Donata Menegheli (U. Bologna)
    Seminário intensivo, em inglês: 17-23 Fevereiro e 19-25 Maio 2022.

Part 1: Illustration as “genre”

Jan Baetens (KU Leuven)

17-18 and 21-23 February 2022, 10:00-14:00.

This first part of the seminar will be divided in two moments, starting with a theoretical-historical approach on illustration as “genre” and its position in-between artist book and picture book. The discussion of the genre will focus on aspects such as book history, printing and medium issues, texts vs paratext (cover illustrations), narratology, and cultural history. We will discuss various types of literary works: narrative fiction, documentary writing, and poetry from different periods, in order to give as broad an overview as possible.

The students will be invited to give presentations of selected case studies. I will provide a first list (trying to avoid the usual suspects such as Alice in Wonderland), while giving the students the possibility to make a comparative analysis of these works with books from their own linguistic or cultural background. I will also provide some bibliographical information on the books they will have to study and present.

Part 2: Image/text, intermediality, and performativity: the example of Sophie Calle

Donata Meneghelli (U. Bologna)

19-20 and 23-25 May 2022, 10:00-14:00

This second part of the seminar will discuss the image/text relation, and the notions of intermediality and performativity (in a twofold meaning: as doing things with words and/or images, and as doing things that engender texts and/or images), starting from the work of French artist Sophie Calle (b. 1953). Calle’s work not only revolves around the constant interplay between language and the photographic image, but is unclassifiable as it oscillates between different domains: visual arts, performance, photography, or literature? Aesthetics or ethnography? Action or representation? Documentary research or expression? Fiction or reality? By perpetually crossing and blurring the borders of these domains, by staging concrete situations and games, by using different media/supports (exhibition, photo book, film, her own body and persona), as well as by questioning the dialectics between images and words, Calle has explored some paramount aspects of social life such as privacy, exposure, voyeurism and surveillance, collective and individual memory, money, the politics of love and gender relations.  

 

  • Seminário de Opção
    Duarte Braga - 5.ªf. 15.30 – 18.30

Modas, manias e filias da Ásia

Este seminário pretende explorar o gosto pelo “oriental” no âmbito do gosto pelo exotismo geográfico ou histórico enquanto fenómeno europeu e cosmopolita dos séculos XIX e XX. As estéticas mais conhecidas são a chinoiserie e a japonaiserie (aspetos da sinofilia e da nipofilia), assim como a indofilia, mas existem outras menos atendidas, com uma dimensão mais histórica, como a egiptomania e a assiriomania, ou o gosto por Bizâncio. Será estudada a forte presença destas estéticas na cultura material e popular: a decoração (biombos, porcelanas), a pintura, os trajes, bem como em textos sobretudo literários. O seminário propõe entender estas manias, modas e filias como alegorias de uma Europa espiritualmente esgotada, pelas afinidades que se evidenciam com os requintes de sociedades consideradas decadentes. Contudo, apreciar-se-á como a assimilação da Ásia foi sempre limitada por preconceitos vários e pela noção de superioridade administrativa e militar da Europa, em consonância com o imperialismo europeu da época.

As leituras incluem quer textos primários – de autores como Téophile Gautier, Eça de Queirós, Wenceslau de Moraes, Camilo Pessanha, Alberto Osório de Castro, Giacomo Puccini, Oscar Wilde, Fernando Pessoa e os modernistas portugueses, entre outros – quer ensaios críticos, de Edward Said, Victor Segalen, Alexander Macfie, António Hespanha, entre outros.

 

  • Seminário de Orientação (S4)
    Coord. Helena Buescu

O seminário visa o desenvolvimento da autonomia e das capacidades de investigação do mestrando com o objectivo de escrever a sua dissertação de mestrado em Estudos Comparatistas. A redacção da dissertação é acompanhada pelo(s) orientador(s) em trabalho tutorial.

 

Doutoramento

1.º semestre
  • Tópicos em Estudos Comparatistas I
    Luísa Afonso Soares - 3.ªf. 15.30 – 18.30

Criar e Contestar Memórias: Literatura, Artes e Cidadania

Partindo das ideias de fragilidade e permeabilidade, este Seminário propõe-se pensar criticamente as dinâmicas da memória cultural em contextos políticos, sociais e mentais em transformação. Como se constitui a memória cultural, que critérios presidem à sua consolidação ou à sua contestação, o que garante a sua sobreviva, que meios e agentes viabilizam a mediação ou remediação de passados conflituantes e abrem caminho a um pensamento ético são algumas das questões que procuraremos seguir. Esta abordagem comparativa centrar-se-á em figurações da memória na Literatura e nas Artes contemporâneas, sem perder de vista a representação da memória no espaço público. Propõe-se ainda uma reflexão sobre a importância crescente dos media na “invenção de memórias”, nas políticas de memória e na contestação de formas simbólicas e práticas recordatórias inscritas na memória colectiva.

A Costa dos Murmúrios de Lídia Jorge e o filme homónimo de Margarida Cardoso, bem como Os Emigrantes de W.G. Sebald constituirão o corpus essencial deste seminário, ao qual se juntarão outros artefactos e práticas culturais, que de uma forma ou de outra constroem ou desconstroem a memória cultural.

 

  • Tópicos em Estudos Comparatistas II
    Everton V. Machado - 5.ªf. 15.30 – 18.30

O mito do harém na literatura e nas artes

Apesar de representarem tudo o que havia de «oriental» no Oriente, os aposentos destinados às mulheres no mundo islâmico sempre foram interditos ao olhar do viajante europeu do sexo masculino. Assim, muitos especialistas defendem dever ser investigada antes a relação da «imaginação» ocidental com o harém do que o suposto conhecimento dos ocidentais sobre este. Fazendo convergir ferramentas de estudo do domínio da Literatura Comparada, este seminário propõe uma travessia pelo imaginário do harém, com as suas odaliscas e concubinas, sob o «despotismo» do homem muçulmano. Perscrutar-se-á́ o tema desde o tópos do cativeiro na literatura medieval até às origens do sub-género «desert romance novel» (que se revitalizou no século XXI com o nome mais popular de «sheik romance»), passando, naturalmente, pelo período romântico (quando se cristalizou a ideia do harém tal como o conhecemos, pelas mãos de grandes escritores), e verificando a sua ressonância na pintura, na ópera e no cinema. Entre as obras de leitura fundamental, encontram-se Cartas Persas (1721) de Montesquieu e Nasci num Harém: As mil noites de Xerazade (1994) de Fatima Mernissi.

 

  • Investigação Avançada I (S3)
    Santiago Pérez Isasi - 4.ªf. 11.00 – 14.00

Este Seminário de Investigação visa oferecer aos estudantes as ferramentas metodológicas essenciais para desenvolver a sua investigação, tanto no que diz respeito à elaboração da tese de doutoramento em curso, como em outras tarefas inerentes à actividade académica e essenciais no campo da pesquisa (e.g., apresentação de papers, publicação de artigos e volumes, organização de colóquios, gestão de projectos, apresentação de candidaturas, etc.).

Os objectivos específicos são:

- Fornecer as ferramentas necessárias que permitam ao estudante desenvolver uma pesquisa autónoma, tanto durante o doutoramento como em fases posteriores;

- desenvolver a capacidade de apresentação dos resultados da pesquisa por parte do estudante, tanto no domínio da expressão oral como ao nível da escrita;

- fomentar a capacidade de o estudante reagir criticamente e de acordo com o nível avançado da sua formação a apresentações de outros.

 

2.º semestre
  • Tópicos em Estudos Comparatistas III
    Claudia Fischer - 4.ªf. 15.30 – 18.30

Graça, génio e corpo. Uma perspectiva intermedial

Graça (em grego charis) é um conceito que, na continuidade de uma longa linha de descrições, ocupa um lugar relevante no debate setecentista europeu sobre estética. Se, na sua poética descrição do Torso de Belvedere, o arqueólogo Winckelmann a eleva a epítome da estética classicista, Friedrich Schiller desenvolve toda uma teoria da graça que irá constituir um dos alicerces do seu célebre programa de Educação Estética. O ideal de “beleza em movimento”, como Schiller a define, encontra a sua paisagem privilegiada no corpo humano. Já o conceito de génio, que se aproxima da descrição de graça por via da sua proverbial relação com uma dimensão sobre-humana, mereceu inúmeros estudos e representações literárias e artísticas nos séculos XVIII e XIX.

Neste seminário, observaremos como as ideias de graça (ou graciosidade) e de génio se manifestam na literatura e nas outras artes deste período e como a sua íntima relação com o corpo – evidenciada em descrições do sonâmbulo, do bailarino, do esgrimista, do louco, da marioneta – dará lugar a novas representações do artista, como, por exemplo, a do equilibrista na corda bamba projectado por Nietzsche no seu Zarathustra.

 

  • Seminário Interartes / Interarts Seminar
    Jan Baetens (KULeuven) e Donata Menegheli (U. Bologna)
    Intensive seminar, in English: 17-23 February and 19-25 May 2022.

Part 1: Illustration as “genre”

Jan Baetens (KU Leuven)

17-18 and 21-23 February 2022, 10:00-14:00.

This first part of the seminar will be divided in two moments, starting with a theoretical-historical approach on illustration as “genre” and its position in-between artist book and picture book. The discussion of the genre will focus on aspects such as book history, printing and medium issues, texts vs paratext (cover illustrations), narratology, and cultural history. We will discuss various types of literary works: narrative fiction, documentary writing, and poetry from different periods, in order to give as broad an overview as possible.

The students will be invited to give presentations of selected case studies. I will provide a first list (trying to avoid the usual suspects such as Alice in Wonderland), while giving the students the possibility to make a comparative analysis of these works with books from their own linguistic or cultural background. I will also provide some bibliographical information on the books they will have to study and present.

Part 2: Image/text, intermediality, and performativity: the example of Sophie Calle

Donata Meneghelli (U. Bologna)

19-20 and 23-25 May 2022, 10:00-14:00

This second part of the seminar will discuss the image/text relation, and the notions of intermediality and performativity (in a twofold meaning: as doing things with words and/or images, and as doing things that engender texts and/or images), starting from the work of French artist Sophie Calle (b. 1953). Calle’s work not only revolves around the constant interplay between language and the photographic image, but is unclassifiable as it oscillates between different domains: visual arts, performance, photography, or literature? Aesthetics or ethnography? Action or representation? Documentary research or expression? Fiction or reality? By perpetually crossing and blurring the borders of these domains, by staging concrete situations and games, by using different media/supports (exhibition, photo book, film, her own body and persona), as well as by questioning the dialectics between images and words, Calle has explored some paramount aspects of social life such as privacy, exposure, voyeurism and surveillance, collective and individual memory, money, the politics of love and gender relations.  

 

  • Investigação Avançada II (S4)
    Coord. Ângela Fernandes

O seminário visa a consolidação da autonomia e das competências de investigação dos doutorandos em Estudos Comparatistas, a ampliação do leque de referências no tópico de pesquisa escolhido, e a familiarização com as bases teóricas e metodológicas mais adequadas ao projecto de tese. Cada doutorando deverá: desenvolver pesquisa específica para o seu projecto doutoral, com o acompanhamento tutorial do(s) orientador(es); participar em actividades de investigação promovidas pelos grupos do Centro de Estudos Comparatistas, e em encontros científicos (colóquios, seminários, escolas de verão) relevantes para a sua pesquisa; apresentar e discutir o seu projecto de tese numa prova de qualificação, no final do semestre.

 

 

 

 

 

 

 

 

Programa em Estudos Comparatistas

 

pec flul logo

Contactos

Programa em Estudos Comparatistas

Faculdade de Letras Universidade de Lisboa

Alameda da Universidade
1600-214 Lisboa
Portugal

(+ 351) 21 792 0085

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.