Seminars

MA and PhD seminars, since 2005/2006 

 

PhD seminars: 

2020/2021

1.º semestre
  • Tópicos em Estudos Comparatistas I / Topics in Comparative Studies I – Helena Buescu - 3.ª feira, 10h-13h (ZOOM)

Letras e Literaturas Europeias

Reflexão sobre o conceito de literaturas europeias no quadro da literatura-mundo comparada. Relações com literatura comparada, possibilidades e limites. A conformação teórica dos conceitos e as relações com o fenómeno e a teoria da tradução. A distância cultural e crítica como modo de interrogação e interesse. Uma ideia da Europa: História, ética, identidade e sujeito - diferentes conformações para uma mesma interrogação.

Textos de, entre outros: Sófocles, Santo Agostinho, Pico della Mirandola, Camões, Shakespeare, Montaigne (“Da Amizade” e “Dos Canibais”), Goethe (poemas de Divã Ocidental-Oriental, trad. Paulo Quintela), Kavafis (“Um nobre bizantino ”), Camilo Pessanha e Paul Celan.

  • Tópicos em Estudos Comparatistas II / Topics in Comparative Studies II – Fernanda Mota Alves  – 5.ª feira, 15h-18h

Memória, espaço e lugar

A localização da memória reveste-se de um interesse crescente, tanto para a teoria cultural como para a análise de fenómenos mnemónicos específicos. Os “lieux de mémoire” (“lugares de memória”) identificados por Pierre Nora e os “Erinnerungsräume” (“espaços de recordação”) sobre os quais escreve Aleida Assmann permitem uma primeira abordagem desta relação entre a memória e o espaço. A mais recente atenção às implicações da mobilidade global teve como consequência a noção de que a memória está permanentemente "em trânsito", movendo-se entre lugares, culturas e identidades. O objectivo deste Seminário é mapear os aspectos da referida relação entre memória e espaço nas suas representações literárias, com especial incidência nos seguintes tópicos: lugares de memória, memória dos lugares; trauma e memória do corpo; memória e migração; memória e experiência urbana.

2.º semestre
  • Tópicos em Estudos Comparatistas III / Topics in Comparative Studies III – Jennifer Goodlander (Indiana University – Bloomington)

Seminário intensivo de 8 semanas (Março e Abril de 2021)

2.ª e 5.ª feira, 16.30-18.30 (ZOOM)

Island Imaginations

As a metaphor and a place, islands have inspired various literature, art, film, and theatre. Islands enchant, enthrall, and confound, conceptualized as both an exotic paradise and a prison, magical and knowable. The study of islands spans disciplines and provides a foundation to understand theories of culture, place, and imagination. This seminar offers a comparative study of islands; we will begin with Bali, Indonesia, but also expand our travels to the Caribbean, Pacific Rim, Australia, and islands that exist only in our imaginations. In this course we will:

  • Introduce the multidisciplinary field of island studies.
  • Understand theories of the exotic, especially in relation to imagination and the body.
  • Clarify the tension between tradition and modernity, especially as it relates to the bounded entities of islands.
  • Discover theories of tourism, travel, and borders.
  • Challenge continental, or East/West, conceptualizations of area studies by exploring an island approach.
  • Explore tensions between the real and the imaginary as it relates to artistic expression.

The readings and viewings for the course will fluctuate from primary texts—such as Shakespeare’s the Tempest, the novel Tarian Bumi (“Earth Dance”) by Oka Rusmini, and the film Cast Away starring Tom Hanks—to critical theories relevant to the study of island imaginations—such as Laura Mulvey, Edward Said, Homi K Bhaba, and Anna Tsing—and include parts of recent monographs and essays that speak directly to, and help formulate the growing field of island studies.

  • Seminário Interartes / Interarts Seminar – Fernanda Gil Costa – 4.ª feira, 14h-17h

O seminário Interartes constitui o espaço privilegiado de pesquisa avançada para estudantes de doutoramento cujo objectivo mais importante é a reflexão sobre relações intersistémicas entre os vários campos artísticos e códigos de expressão das diferentes artes. Tendo como alvos mais importantes a literatura e o cinema, sem desconsiderar outros igualmente relevantes (pintura, música, banda desenhada), a pesquisa pode seguir rumos diversos como o estudo de adaptações cinematográficas de obras consagradas ou outras abordagens comparativas sobre representações específicas de temas (o amor fatal, a conspiração, a traição) ou géneros e subgéneros (o policial, a ficção científica), por exemplo.

Em 2020/21 optar-se-á pelo estudo e análise de adaptações cinematográficas de romances de Edith Wharton (The Age of Innocence, 1920, adaptado por Martin Scorcese) e Patricia Highsmith (The Talented Mr. Ripley, 1955; Ripley’s Game, 1974, adaptados por Anthony Minghella e Liliana Cavani, respectivamente) – focando a representação da violência emocional e a organização conspirativa e suspensiva da intriga.

- 2019/2020 »

- 2018/2019 »

- 2017/2018 »

- 2016/2017 »

- 2015/2016 »

 

MA seminars:

2020/2021

1.º semestre
  • Tópicos em Comparatismo 1 – José Pedro Serra - 2.ª feira, 15h-18h

A consciência da morte: literatura e filosofia

Expressões filosófico-literárias da consciência da morte:

a) A "bela morte" ou a morte heróica;

b) A tragédia ou o risco da morte;

c) Morte e metamorfose: religião e gnose;

d) "Morrer de amor": eros e thanathos;

e) O anúncio da "morte de Deus";

 f) O absurdo ou a morte do sentido.

Principais textos em estudo: Beckett, En attendant Godot; Homero, Ilíada; Nietzsche, Also sprach Zarathustra; Sófocles, Electra; Tolstoi, Guerra e Paz.

  • Tópicos em Comparatismo 2 – Luísa Afonso Soares - 5.ª feira, 15h-18h.

Materialidades da memória

Este seminário tem como objectivo analisar a representação das materialidades da memória na literatura, no cinema e fotografia, nos respectivos contextos espácio-temporais. Considerar-se-ão as memórias inscritas nos objectos, nas paisagens, nos monumentos ou ruínas, nos quais de uma forma ou outra se inscrevem ou deles emanam emoções e afectos. Será dada relevância aos seguintes tópicos:

  • Cultura material, memória e esquecimento;
  • Dimensão afectiva dos meios e das práticas de memória;
  • Corporização da violência e trauma;
  • Cultura material, memória e emigração;
  • Transmissão intergeracional da memória material;
  • Objectos testemunhais/museológicos e ética.

Será necessariamente adoptada uma perspectiva transnacional e transcultural, porque, como a humanidade, também os produtos e as práticas culturais viajam, atravessam ou diluem fronteiras.

  • S3 - Seminário de Investigação – Helena Buescu 
2.º semestre
  • Tópicos em Comparatismo 3 – Jennifer Goodlander (Indiana University – Bloomington)

Seminário intensivo de 8 semanas (Março e Abril de 2021)

2.ª e 5.ª feira, 16.30-18.30 (ZOOM)

Island Imaginations

As a metaphor and a place, islands have inspired various literature, art, film, and theatre. Islands enchant, enthrall, and confound, conceptualized as both an exotic paradise and a prison, magical and knowable. The study of islands spans disciplines and provides a foundation to understand theories of culture, place, and imagination. This seminar offers a comparative study of islands; we will begin with Bali, Indonesia, but also expand our travels to the Caribbean, Pacific Rim, Australia, and islands that exist only in our imaginations. In this course we will:

  • Introduce the multidisciplinary field of island studies.
  • Understand theories of the exotic, especially in relation to imagination and the body.
  • Clarify the tension between tradition and modernity, especially as it relates to the bounded entities of islands.
  • Discover theories of tourism, travel, and borders.
  • Challenge continental, or East/West, conceptualizations of area studies by exploring an island approach.
  • Explore tensions between the real and the imaginary as it relates to artistic expression.

The readings and viewings for the course will fluctuate from primary texts—such as Shakespeare’s the Tempest, the novel Tarian Bumi (“Earth Dance”) by Oka Rusmini, and the film Cast Away starring Tom Hanks—to critical theories relevant to the study of island imaginations—such as Laura Mulvey, Edward Said, Homi K Bhaba, and Anna Tsing—and include parts of recent monographs and essays that speak directly to, and help formulate the growing field of island studies.

  • Seminário Interartes – Claudia Fischer - 4.ª feira, 15h-18h

Música e Literatura sob o signo do Romantismo Alemão

A relação entre música e literatura sempre constituiu um campo de vivo debate, no qual as duas artes ora são consideradas colaboradoras, ora concorrentes, como se verificou, por exemplo, no paragone delle arti do Renascimento. Neste seminário, iremos ler textos literários e ensaísticos do Romantismo Alemão, examinando em que moldes concebem a relação entre música e palavra. É precisamente na viragem do século XVIII para o século XIX que uma geração de jovens autores como os irmãos Schlegel e Novalis ensaiam uma nova estética literária numa íntima articulação com ideias sobre música. Se algumas vozes defendem que a música, enquanto linguagem, não consegue estar à altura da capacidade de expressão verbal, outras encontram nela um modelo para as outras artes e linguagens. Investigaremos diferentes tipos de relação entre música e literatura, observando como, no período em questão, estas convergiram, se influenciaram mutuamente e/ou proporcionaram a criação de novas formas que se propagaram para lá das suas fronteiras linguísticas e temporais. Os textos em que nos focaremos são assinados por D’Alembert, Goethe, Tieck, irmãos Schlegel, Wackenroder, Novalis, Hoffmann, Kleist, Schopenhauer, Nietzsche, Wagner, entre outros, e a música que ouviremos composta por Schubert, Schumann, Beethoven, Mahler, Wagner, entre outros.

  • S4 - Seminário de Orientação – Helena Buescu 

2019/2020

1.º semestre

 

 Tópicos em Comparatismo 1, 12 ECTS – José Pedro Serra

Conflitos, Contradições, Aporias

1. Epopeia e anti-epopeia. Análise de excertos dos seguintes textos: Homero, Ilíada; Homero, Odisseia; Vergílio, Eneida; Camões, Lusíadas.

2. Categorias da tragédia: o trágico e o antitrágico. Análise dos seguintes textos: Ésquilo, As SuplicantesA oresteia; Sófocles, Electra; Séneca, Tiestes; Shakespeare, Hamlet; Racine, Phèdre; Beckett, En attendant Godot.

3. O Romance: Léon Tolstoi, Guerra e Paz (excertos); Leonardo Padura, El hombre que amaba a los perros (O homem que gostava de cães).

4. O discurso filosófico e religioso. Análise dos seguintes textos: Platão, República, 509d - 517c. (alegoria da linha e alegoria da caverna); Bíblia, Livro do Êxodo, Livro de Job Carta de S. Paulo aos romanos (excertos), Carta de S. Paulo aos Coríntios I e II (excertos), Evangelho S. João (excertos); S. João da Cruz, Subida del Monte Carmelo (excertos).

 

Tópicos em Comparatismo 2, 12 ECTS – Luísa Afonso Soares

Materialidades da memória na literatura, no cinema e na fotografia

Este seminário tem como objectivo analisar a representação das materialidades da memória na literatura, no cinema e na fotografia, nos respectivos contextos espácio-temporais. Considerar-se-ão as memórias inscritas nos objectos, nas paisagens, nos monumentos ou ruínas, nos quais de uma forma ou outra se inscrevem ou deles emanam emoções e afectos. Será dada relevância aos seguintes tópicos: Cultura material, memória e esquecimento; Dimensão afectiva dos meios e das práticas de memória; Corporização da violência e trauma; Cultura material, memória e emigração; Transmissão intergeracional da memória material; Objectos testemunhais/museológicos e ética. Será necessariamente adoptada uma perspectiva transnacional e transcultural, porque, como a humanidade, também os produtos e as práticas culturais viajam, atravessam ou diluem fronteiras.

 

2.º semestre

 

Tópicos em Comparatismo 3, 12 ECTS – Ângela Fernandes

Experimentar e conhecer: problemas artísticos

O seminário pretende explorar as noções de conhecimento e de experimentação a partir da análise comparada de representações artísticas que directamente convocam e discutem diferentes formas de conhecer e experimentar. Serão estudadas obras de arte em que se apresentam e problematizam diversos aspectos destas práticas, nomeadamente: o auto-conhecimento; o conhecimento do mundo natural e o “método científico”; as implicações éticas e os limites da experiência e da busca do saber; o conhecimento histórico e a memória colectiva; a arte como experimentação e como forma de acesso ao saber. Principais obras em estudo: La vida es sueño, de Pedro Calderón de la Barca; The island of Dr. Moreau, de H.G. Wells; narrativas breves de Ramón Gómez de la Serna e Jorge Luis Borges; Copenhagen, de Michael Frayn; os filmes Nostalgia de la luz El botón de nácar, de Patricio Guzmán. 

 

Estudos Inter-artes, 12 ECTS – Claudia Fischer

Música e Literatura sob o signo do Romantismo Alemão

No seu texto "Estados eróticos imediatos ou o erótico musical" S. Kierkegaard afirmava que, enquanto forma de comunicação conceptual, a linguagem verbal nunca conseguirá estar à altura da capacidade de expressão imediata inerente à música, constatando por isso uma grande dificuldade da linguagem em descrever e expressar o que acontece em música. Partindo de textos seminais do Romantismo Alemão, veremos como autores literários tentaram quebrar essa barreira. Investigaremos diferentes tipos de relação entre música e literatura, examinando como, no período em questão, convergiram, se influenciaram mutuamente e/ou proporcionaram a criação de novas formas, que, caracterizando o movimento em que se inserem, se propagaram também para além das suas fronteiras linguística e temporal. Os autores em que nos focaremos serão, entre outros, Novalis, Hoffmann, Tieck, Wackenroder, Goethe, Kleist, Schiller, Nietzsche. 

 

Seminário de Opção, 12 ECTS – Simão Valente

Literatura e Política do Modernismo Tardio

Este curso pretende examinar o entrecruzar da experimentação linguística modernista com os desenvolvimentos históricos e políticos das décadas de 20 e 30, abrangendo representações literárias desse período escritas ou publicadas em décadas posteriores. Privilegia-se na primeira metade do semestre o contexto italiano, tendo em conta o lugar especial que este ocupa no período em questão, o que incluirá compreender a herança decadentista. Num segundo momento olhar-se-á para um panorama mais vasto, que toque em desenvolvimentos em Portugal, França, e mais além no caso de Elias Canetti. A herança do romance de formação e da autobiografia ou discurso autobiográfico será uma companhia constante. Textos em estudo: Gabriele D’Annunzio, O Triunfo da Morte; Marinetti e o Futurismo; Alberto Moravia, O Conformista; Natalia Ginzburg, Léxico Familiar; Louis Ferdinand Céline, Viagem ao Fim da Noite; Jorge de Sena, Sinais de Fogo; Elias Canetti, A Língua Resgatada.

 

2018/2019

Semester 1

 

Literatura, pintura, arquitectura: o encontro das artes no teatro

Estudos Inter-artes, 12 ECTS – Margarida Madureira

Este seminário abordará a importância da dinâmica inter-arte e intermédia (literatura, pintura, arquitectura) para a construção da significação do espectáculo teatral. Tomará por ponto central da reflexão teórica as noções de mimese e representação: a herança da Antiguidade, a teologia da imagem, o debate entre realismo e nominalismo em articulação com o desenvolvimento e a transformação da representação (em dupla acepção) teatral. A análise partirá do drama litúrgico para incidir, em seguida, no processo de secularização do sagrado no teatro dos séculos XV-XVI (Paixões, sermões burlescos). O último ponto do programa será consagrado ao estudo da reflexão sobre estas questões em alguns espectáculos contemporâneos (Romeo Castellucci, Inferno e Sobre o Conceito do Rosto do Filho de Deus).

 

Tópicos em Comparatismo 1, 12 ECTS – José Pedro Serra

 

Semester 2

 

Escritas Femininas em Português: Entre o ocidente e o oriente

Tópicos em Comparatismo 2, 12 ECTS – Fernanda Gil Costa

Este seminário destina-se a estudar algumas das expressões e vozes mais características do espaço de língua oficial portuguesa, incluindo sobretudo obras (poesia, romance, cinema,) de escritoras portuguesas (Maria Isabel Barreno, Teolinda Gersão, Lídia Jorge) escolhendo algumas das que mais reflectiram sobre a diversidade e a diferença dos espaços geográficos da língua e sua interdependência, bem como escritoras africanas (Olinda Beja) e orientais (Deolinda da Conceição, Maria Ondina Braga, Fernanda Dias) pelo nascimento ou pela adopção de um pais diverso. 

As questões relacionadas com a escrita feminina, sua especificidade e circulação farão igualmente parte das preocupações do seminário.

 

Music and Literature

Tópicos em Comparatismo 3, 12 ECTS– David Hertz, Indiana University in Bloomington

Study of the profound interrelationship of music and literature in modern culture. We will read: Marcel Proust (two volumes from À la recherché de temps perdu);  Thomas Mann, Doktor Faustus; and Richard Powers, The Time of Our Singing;  as well as assorted song lyrics and excerpts from musico-dramatic works. The focus will be chiefly on the symbolic power of music in important fiction but also at times on the impact of literary form on music (in songs, operas and other hybrid works). 

2017/2018

 

A literatura como praça maior

(Tópicos em Comparatismo 1, 12 ECTS – Helena Carvalhão Buescu)

Parte-se da noção de “praça maior” como uma descrição adequada à ideia de literatura. Longe de ser um uso específico e marginal da língua, ao lado de todos os outros, a literatura é concebida como o lugar onde as potencialidades e os discursos da língua se podem cruzar. Uma praça maior que acolhe sem qualquer dificuldade todas as possibilidades da língua historicamente situadas.

Guerra e literatura: da guerra heróica à 2ª guerra mundial

(Tópicos em Comparatismo 2, 12 ECTS – José Pedro Serra)

O presente seminário reflectirá sobre as múltiplas e complexas relações entre a Literatura e a Guerra, não apenas enquanto a guerra é tema privilegiado do texto literário, mas também tema de reflexão filosófica e política, e ainda, frequentemente, condição existencial determinante da criação literária. Procurar-se-á uma visão abrangente, partindo da antiga concepção da guerra heróica (IlíadaBagavadguita) até aos contemporâneos romances de J. Littell (As Benevolentes) e V. Grossman (Vida e Destino).

Literatura, pintura, arquitectura: o encontro das artes no teatro

(Seminário interartes, 12 ECTS – Margarida Madureira)

Este seminário abordará a importância da dinâmica inter-arte e intermédia (literatura, pintura, arquitectura) para a construção da significação do espectáculo teatral. Tomará por ponto central da reflexão teórica as noções de mimese e representação: a herança da Antiguidade, a teologia da imagem, o debate entre realismo e nominalismo em articulação com o desenvolvimento e a transformação da representação (em dupla acepção) teatral. A análise partirá do drama litúrgico para incidir, em seguida, no processo de secularização do sagrado no teatro dos séculos XV-XVI (Paixões, sermões burlescos). O último ponto do programa, será consagrado ao estudo da reflexão sobre estas questões em alguns espectáculos contemporâneos (Romeo Castellucci, Inferno e Sobre o Conceito do Rosto do Filho de Deus).

Do Orientalismo ao Novo Oriente
(Tópicos em Comparatismo 3, 12 ECTS – Fernanda Gil Costa)

A visita regular da cultura e literatura portuguesa ao locus oriental desde o século XVI conheceu renovado interesse nas últimas décadas especialmente depois da comemoração dos 500 anos dos Descobrimentos, no final do século XX (coincidindo com o regresso de Macau à soberania chinesa), entre 1896 e 2002. Este seminário pretende reflectir sobre as relações da cultura portuguesa com o ‘Oriente’ dando especial atenção ao período posterior à publicação de Orientalism (1978) de Edward Said onde um Oriente suposto pelos estudos humanísticos europeus foi desmascarado e obrigado a reformular-se em novos moldes. É igualmente objectivo deste seminário identificar algumas das principais tendências do renovado interesse da cultura portuguesa actual pelo oriente e sobretudo por Macau, sua origem, história e actualidade.

Tolstói e Dostoievski e o romance
(Seminário Opcional, 12 ECTS – Jeff Love (Ph.D. Yale), University of Clemson, EUA)

Os dois “gigantes” da literatura russa são Lev Nikolaevich Tolstói (1828-1910) e Fiódor Michailovich Dostoievski (1821-1881). Não são porém gigantes só da literatura russa, mas sim da literatura mundial e têm tido uma influencia enorme sobre o romance tal como ele se desenvolveu no século vinte. O curso considera uma obra muito importante de cada escritor, Guerra e Paz de Tolstói, e Os Irmãos Karamazov de Dostoievski. Procede a uma investigação de cada obra como tentativa de criar a sua própria forma no (ou por além do) gênero romance. Neste sentido o curso tem de considerar questões fundamentais do romance—o que é um romance e em que sentido pode ser o romance um gênero que cria uma “revolução permanente” na literatura? Este aspecto do romance, a sua flexibilidade quase infinita e explorada pelos romancistas russos do século dezenove que tentaram criar novas formas narrativas que pudessem ser verdadeiramente russas. O romance russo do século dezenove era uma revolta contra as convenções e “regras” da literatura ocidental e também do Ocidente em geral. Estamos perante uma literatura “pos-colonialista” avant la lettre.

2016/2017

A literatura como praça maior

(Tópicos em Comparatismo 1, 12 ECTS – Helena C. Buescu)

Parte-se da noção de “praça maior” como uma descrição adequada à ideia de literatura. Longe de ser um uso específico e marginal da língua, ao lado de todos os outros, a literatura é concebida como o lugar onde as potencialidades e os discursos da língua se podem cruzar. Uma praça maior que acolhe sem qualquer dificuldade todas as possibilidades da língua historicamente situadas.

Guerra e literatura: da guerra heróica à 2ª guerra mundial

(Tópicos em Comparatismo 2, 12 ECTS – José Pedro Serra)

O presente seminário reflectirá sobre as múltiplas e complexas relações entre a Literatura e a Guerra, não apenas enquanto a guerra é tema privilegiado do texto literário, mas também tema de reflexão filosófica e política, e ainda, frequentemente, condição existencial determinante da criação literária. Procurar-se-á uma visão abrangente, partindo da antiga concepção da guerra heróica (IlíadaBagavadguita) até aos contemporâneos romances de J. Littell (As Benevolentes) e V. Grossman (Vida e Destino).

Literatura, pintura, espectáculo: o encontro das artes no teatro

(Estudos interartes, 12 ECTS – Margarida Madureira)

Estudos de memória e transculturalidade

(Tópicos em Comparatismo 3, 12 ECTS – Fernanda Mota Alves)

Este seminário propõe-se dar a conhecer os textos fundamentais dos estudos de memória, bem como aqueles que representam os seus mais recentes desenvolvimentos, articulados em torno dos conceitos de memória multidireccional e memória transcultural. Não há cultura nem identidade sem memória; por outro lado, migrações e cruzamentos culturais – a transposição de fronteiras de várias ordens – são fenómenos que complexificam essas noções, e constituem um desafio teórico e analítico de inegável pertinência e actualidade. 

Ao longo dos trabalhos lectivos, além de ser facilitada a aquisição do instrumentário teórico, será ensaiada a sua utilização na abordagem de textos literários e fílmicos cuja temática corresponderá às questões acima descritas. Importará identificar modos de problematização e estratégias de representação/narrativização das ficções estudadas, tomando sempre a memória como questão central.

O Ocidente e a Índia: textos e contextos da antiguidade clássica à modernidade

(Opção, 12 ECTS – Nuno Miguel Mourato, SOAS University of London)

O seminário tem como objectivo dar a conhecer aos alunos algumas das tradições textuais da Índia (literárias e sagradas) e seguidamente ilustrar a importância dos contactos culturais entre a Europa e a Índia através da leitura e análise de textos de escritores ocidentais, antes e depois da formidável descoberta do Sânscrito e da sua relação de parentesco com as línguas europeias.

2015/2016

D. Quixote e os seus autores

(Tópicos em Comparatismo 1, 12 ECTS – Ângela Fernandes)

O seminário propõe o estudo intensivo do romance Don Quijote de la Mancha, de Miguel de Cervantes (1605, 1615), seguindo duas principais linhas de análise: o questionamento dos processos de leitura e do papel do leitor na construção do universo ficcional deste romance, e a identificação de vozes narrativas e de entidades autorais tal como aí são apresentadas e discutidas. Considerando a proposta paradoxal que se surpreende em “Pierre Menard, autor del Quijote”, de Jorge Luis Borges (1941), serão também comentados alguns casos de análise crítica e de reescrita do romance cervantino, no sentido de reflectir sobre a aproximação fundamental entre as noções de interpretação e autoria.

Orientalismos – Cultura, Política e Literatura

(Tópicos em Comparatismo 2, 12 ECTS – Everton Machado)

O Orientalismo, na perspectiva da polémica obra Orientalism (1978) de Edward W. Said (compreendendo os universos britânico, francês e norte-americano), é uma actividade discursiva que tem por objecto o Oriente e o oriental de uma maneira política e culturalmente interessada. Académicos, funcionários coloniais, escritores e artistas nada teriam produzido sobre o Oriente e as suas populações que não estivesse respaldado pela experiência imperialista das suas nações. O objectivo do presente seminário, através da abordagem de discursos e estéticas, é aferir não apenas a actualidade das questões levantadas por Said e o seu desenvolvimento teórico-metodológico posterior nas áreas da literatura e das ciências sociais, mas ainda questionar-se sobre a especificidade das representações acerca do Oriente não oriundas dos universos mencionados, nomeadamente o português.

Na primeira parte do curso, procurar-se-á compreender as formulações de Edward W. Said e a crítica feita a elas através de conhecidas obras da literatura, das artes plásticas e do cinema europeus e norte-americanos. Na segunda parte, Portugal e  as suas representações do Oriente ocuparão o centro da discussão através da literatura (relatos de viagem, romance, poesia) e dos Estudos Orientais, num período que vai do século XVI ao XX.

International Seminar Literature and Change in Europe (LACE)

The course gives an in-depth view on new ways of approaching literature, in an extended sense, ranging from magazines to digital literature. The strong emphasis on intermediality aims to provide students with the necessary innovative tools for understanding the changing paradigms in postmodernity. We will especially focus on the interplay between literature, oral and visual culture, as well as to key concepts in cultural and textual analysis, such as literacy, fictionality, transmediality, popular culture, hybridity and creolisation. Finally, the context against which we will place these concepts is “Europe”: challenging classical conceptions of Europe as a geographical (continental), homogeneous entity and epistemological framework, we will propose a more fluid concept: Europe as a changing matrix of (cultural, political, economical) values where post-colonial migrations and globalisation are quickly reconfiguring its old, hegemonic position on the global map.

Música em Literatura sob o signo do Romantismo Alemão

(Estudos interartes, 12 ECTS – Claudia J. Fischer)

No seu texto “Estados eróticos imediatos ou o erótico musical”, S. Kierkegaard afirmava que, enquanto forma de comunicação conceptual, a linguagem verbal nunca conseguirá estar à altura da capacidade de expressão imediata inerente à música, constatando por isso uma grande dificuldade da linguagem em descrever e expressar o que acontece em música. Partindo de textos seminais do Romantismo Alemão, veremos como autores literários tentaram quebrar essa barreira, quer através de um gesto de voluntária contaminação da literatura pela música, quer através do recurso a instrumentos ao serviço da linguagem verbal, para desenvolver discursos críticos, filosóficos ou outros. Veremos o modo como nos textos do primeiro Romantismo Alemão se ensaiam práticas de escrita e conceitos que caracterizarão o movimento em que se inserem, propagando-se porém também para além das suas fronteiras linguística e temporal. Os autores em que nos focaremos serão, entre outros, Wackenroder, Schiller, E.T.A Hoffmann, Kleist, Schumann, Alfred Brendel e John Cage.

Perfis da epopeia: de Homero às metamorfoses de um género

(Tópicos em Comparatismo 3, 12 ECTS – José Pedro Serra)

 

MA and PhD seminars:

2014/2015

Imagens do Saber e da Criação 

(Tópicos em Comparatismo 1, 12 ECTS – Ângela Fernandes)

O seminário propõe a consideração da figura do criador (artista ou cientista) tal como é apresentada e discutida em ficções literárias dos séculos XIX e XX. Os cruzamentos entre arte e ciência serão perspectivados não só na constatação de uma presença insistente de temas científicos na representação artística, mas principalmente a partir da análise de aproximações significativas entre os traços definidores de artistas e de cientistas, sendo que se apreciará ainda a persistência de um olhar crítico sobre os limites (materiais, éticos, políticos) da capacidade criativa de ambos. Importará, em simultâneo, revisitar a discussão continuada sobre as  fronteiras entre os domínios do saber, as Humanidade e as Ciências, e sobre o seu valor relativo.

Serão estudados em pormenor os seguintes textos:  Mary Shelley, Frankenstein;Machado de Assis, O Alienista;H.G. Wells, The Island of Dr. Moreau; Ramón Gómez de Serna, El dueño del átomo; Jorge Luis Borges, “La busca de Averroes” (in El Aleph); C.P. Snow, The Two Cultures; Michael Frayn, Copenhagen.

Desconhecido na morada: a carta e a representação da escrita no cinema (E. Lubitsch, M. Ophuls, F. Truffaut, S. Ray, P. Costa) 

(Seminário Interartes, 12 ECTS – Clara Rowland)

All I want from this post-office is delivery, not philosophy“, diz uma personagem de Ophuls no filme The Reckless Moment. Este seminário tomará a presença perturbadora da carta no cinema clássico e moderno como ponto de partida para trabalhar as implicações teóricas e formais da representação temática e material de actos de escrita e de leitura no interior do filme e desenvolver uma interrogação mais ampla, não necessariamente vinculada ao estudo da adaptação, de descrições recíprocas da escrita e do cinema. A partir da análise aprofundada de alguns exemplos, ensaiaremos também uma leitura mais geral do papel da escrita no conjunto da obra de cinco realizadores particularmente interessantes para o estudo destes problemas.

International Seminar Literature and Change in Europe (LACE)

(Opção. Seminário em e-learning. Em colaboração com as Universidades de Aarhus, Bolonha, Granada, Groningen, Leuven e Tartu. Em inglês)

The course gives an in-depth view on new ways of approaching literature, in an extended sense, ranging from magazines to digital literature. The strong emphasis on intermediality aims to provide students with the necessary innovative tools for understanding the changing paradigms in postmodernity. We will especially focus on the interplay between literature, oral and visual culture, as well as to key concepts in cultural and textual analysis, such as literacy, fictionality, transmediality, popular culture, hybridity and creolisation. Finally, the context against which we will place these concepts is “Europe”: challenging classical conceptions of Europe as a geographical (continental), homogeneous entity and epistemological framework, we will propose a more fluid concept: Europe as a changing matrix of (cultural, political, economical) values where post-colonial migrations and globalisation are quickly reconfiguring its old, hegemonic position on the global map.

Fazer coisas com palavras 

(Tópicos em Comparatismo 2, 12 ECTS – Helena Buescu)

Este seminário tem como ponto-de-fuga o reconhecimento de um conjunto de diferentes acções e ocorrências que se replicam em diversas formas literárias do mundo. Entre elas, destacamos: a construção do herói; intrigas e conspirações; amor e experiência; fazer e desfazer mundos. Estes fenómenos são todavia elaborados dissemelhantemente em diferentes literaturas e culturas. Será pois objectivo do seminário indagar as possibilidades de diálogo entre tais literaturas, a partir de uma série comum de fenómenos. O fundamento comparatista do conceito de Literatura- Mundo é a posição teorética que no decorrer do seminário deverá ser problematizada. Serão estudados literariamente textos de: Antigo Egipto; mitos de origem africanos; Bíblia; Sófocles; Dinastia Tang; Dante; Maquiavel; Camões; Racine; Musset; Dostoiévski; Pepetela; Haruki Murakami; Gomes Leal; Camilo Pessanha.

Ovid and the Renaissance 

(Tópicos em Comparatismo 3, 12 ECTS – Sarah Van der Laan, Indiana University Bloomington)

To understand Ovid’s influence in the Renaissance is to understand the Renaissance itself. No classical poet captured the Renaissance imagination more thoroughly than did Ovid. Rebel and exile, myth-maker and realist, Ovid offered dangerous but irrestible models for poets living in a world whose relationship to the past seemed as unstable as its present. We will read Renaissance poetry that engages three of Ovid’s principal texts. The Metamorphoses offered poets from Francesco Petrarca to Edmund Spenser to William Shakespeare the tools to celebrate change and challenge authority. Women poets from Vittoria Colonna and Gaspara Stampa to Isabella Whitney found voices to express female identity and desire in imitating the Heroides, while the Tristia allowed poets from Petrarca to Joachim Du Bellay to write of exile from the glories of the classical past and the centers of present-day power alike. To deepen our understanding of these conversations between poets and ages, we will draw on theories of intertextuality and allusion.

Orientalismos – Cultura, Política e Literatur

(Opção, 12 ECTS – Everton Machado e Catarina Nunes de Almeida)

O Orientalismo, na perspectiva da polémica obra Orientalism (1978) de Edward W. Said (compreendendo os universos britânico, francês e norte-americano), é uma actividade discursiva que tem por objecto o Oriente e o oriental de uma maneira política e culturalmente interessada. Académicos, funcionários coloniais, escritores e artistas nada teriam produzido sobre o Oriente e as suas populações que não estivesse respaldado pela experiência imperialista das suas nações. O objectivo do presente seminário, através da abordagem de discursos e estéticas, é aferir não apenas a actualidade das questões levantadas por Said mas ainda questionar-se sobre a especificidade das representações acerca do Oriente não oriundas dos universos mencionados, como o português.

Na primeira parte do curso, procurar-se-á compreender as formulações de Edward W. Said e a crítica a elas através de conhecidas obras da literatura, das artes plásticas e do cinema europeus e norte-americano. Na segunda parte, a literatura portuguesa ocupa o centro da discussão com dois fenómenos a analisar a partir de um corpus de textos de autores contemporâneos: ao longo do século XX, a poesia revela um contacto crescente com as poéticas orientais e com o pensamento Zen (com especial incidência sobre a poética do haiku); o fascínio pelo Oriente não se limitando ao domínio da poesia, readquire força no contexto pós-colonial das últimas décadas com a reaparição de narrativas de viagens pela Ásia.

Tradução Teatral – teorias e práticas  

(Opção, 12 ECTS – Manuela Carvalho)

Este seminário propõe uma abordagem histórico-descritica das teorias da tradução teatral, bem como uma análise e discussão de casos concretos de tradução para vários media (palco, edição, rádio e TV), considerando tanto questões textuais como contextuais relativas ao teatro traduzido em Portugal. Partindo de uma abordagem culturalista da tradução, procurar-se-á abordar exemplos que ilustram a multiplicidade de formas discursivas do texto de partida teatral e as soluções encontradas nos textos de chegada, ao mesmo tempo que se analisará as questões dramatúrgicas e as referências culturais que se colocam aos tradutores dos textos em causa, susceptíveis de iluminar processos de construção (e reconstrução) de representações identitárias de culturas estrangeiras e de fenómenos de transferência cultural e de aculturação.

Centrar-nos-emos sobretudo em momentos da história da cultura e do teatro em Portugal em que a tradução teve uma preponderância por motivos socioculturais e políticos, nomeadamente o período do Estado Novo (sobretudo entre 1950-74) e casos contemporâneos. Para a selecção das traduções em análise será utilizado o sistema de informação TETRA-Base (http://tetra.fl.ul.pt/base) sobre teatro traduzido em Portugal, que nos oferece uma visão diacrónica da tradução de teatro nos dois últimos séculos.

2013/2014

Letras e Literaturas Europeias

(Tópicos em Comparatismo 1, 12 ECTS – Helena C. Buescu)

Reflexão sobre o conceito de literaturas europeias no quadro da literatura-mundo. Relações com literatura comparada, possibilidades e limites. A conformação teórica dos conceitos e as relações com o fenómeno e a teoria da tradução. A distância cultural e crítica como modo de interrogação e interesse. Uma ideia da Europa: História, ética, identidade e sujeito – diferentes conformações para uma mesma interrogação. Textos de: Sófocles, Santo Agostinho, Pico della Mirandola, Camões, Shakespeare, Racine, Goethe, Dostoiévski e Camilo Pessanha.

Mundos Novos, Mundos Admiráveis: Representações Literárias do Futuro

(Tópicos em Comparatismo 2, 12 ECTS – Ângela Fernandes)

O seminário propõe a reflexão sobre representações artísticas de “mundos novos” e de “mundos futuros”, considerando a importância de certos temas e modelos que se desenvolveram principalmente no âmbito da exploração das relações entre literatura e ciência, em especial na narrativa do século XX. Procurar-se-á identificar os motivos recorrentes que se supreendem nestas representações, ao mesmo tempo que se apreciará criticamente a discussão, muitas vezes implícita nestes textos, sobre as  fronteiras entre os domínios do saber e o seu valor relativo.
O ponto de partida desta reflexão será a análise comparada de: Jorge Luis Borges, “Tlön, Uqbar, Orbis Tertius”, in Ficciones (1944); Aldous Huxley, Brave New World (1932); William Shakespeare, The Tempest (c. 1610); Philip K. Dick, Do Androids Dream of Electric Sheep? (1968); Ridley Scott, Blade Runner (1982); Rosa Montero, Lágrimas en la lluvia (2011).
 

Performance e os Espaços da Contemporaneidade

(Opção, 12 ECTS – Manuela Carvalho)

Os Estudos de Performance têm uma longa história de relações com as artes visuais e os media. Desde as várias práticas teatrais, rituais, festivais, até às mais recentes performances multimédia e instalações, encontramos um campo de análise rico e que nos permite explorar questões relacionadas com a percepção e experiência.

Tomando o espaço urbano como espaço da contemporaneidade por excelência, este seminário pretende analisar um conjunto de objectos, modos de expressão cultural e práticas artísticas contemporâneas, desde vídeo, documentários, fotografia, arquitectura, cenografia, instalações e performances urbanas, relacionando-os com teorias e políticas de produção de espaço e do quotidiano e teorias de cultura visual.

Alguns artistas e grupos que serão alvo de estudo são Sophie Calle, Gregory Crewdson, Marina Abramovic, Orlan, Rachel Witheread, Banksy, Richard Wentworth, Janet Cardiff, Marta Traquino, Gabriela Vaz-Pinheiro, Forced Entertainment, Blast Theory, the Builders Association, entre outros.

Seminário Internacional Literature and Change in Europe (LACE)

(Opção. Seminário em e-learning. Em colaboração com as Universidades de Aarhus, Bolonha, Granada, Groningen, Leuven e Tartu)

The course gives an in-depth view on new ways of approaching literature, in an extended sense, ranging from magazines to digital literature. The strong emphasis on intermediality aims to provide students with the necessary innovative tools for understanding the changing paradigms in postmodernity. We will especially focus on the interplay between literature, oral and visual culture, as well as to key concepts in cultural and textual analysis, such as literacy, fictionality, transmediality, popular culture, hybridity and creolisation. Finally, the context against which we will place these concepts is “Europe”: challenging classical conceptions of Europe as a geographical (continental), homogeneous entity and epistemological framework, we will propose a more fluid concept: Europe as a changing matrix of (cultural, political, economical) values where post-colonial migrations and globalisation are quickly reconfiguring its old, hegemonic position on the global map.

Seminário de Orientação 1

(Helena C. Buescu)

Os Lusíadas: razão e paixão. Leitura do poema de Camões à luz de dois clássicos italianos: Orlando Furioso, de Ariosto, e Gerusalemme Liberata, de Torquato Tasso

(Tópicos em Comparatismo 3, 12 ECTS – Isabel Almeida)

Lidando com obras diversamente articuláveis (Os LusíadasOrlando FuriosoGerusalemme Liberata), procuraremos explorar várias questões e, assim, ensaiar perspectivas de leitura: por um lado, a relação da epopeia de Camões com o romanzo de Ariosto (relação não assumida mas inegável) permitirá observar efeitos e limites dos fenómenos de intertextualidade; por outro lado, a comparação d’Os Lusíadas com a Gerusalemme Liberata (poema só indirecta e residualmente vinculado ao texto camoniano) levará a desenvolver a reflexão sobre os conceitos de poética e de mundividência.

A palavra e o gesto: a alma épica

(Seminário Interartes, 12 ECTS – José Pedro Serra)

Canto primeiro e original, a epopeia revela, desde Homero, uma específica visão do homem, do mundo e da vida, na qual se desenha um desejo de glória e de imortalidadenascidos na aguda consciência da morte, na aspiração ao Absoluto que borda a finitude da humana condição. Procuraremos saber em que consiste o gesto épico, que generosidade o anima, por que palavra se expressa, de que forma atravessou os séculos e ganhou voz nas diversas sociedades. Mover-nos-á, enfim, a tentativa de compreender a especificidade de uma mundividência épica e de que forma é ainda hoje a epopeia um rosto nosso, rosto em que se cruzam as mais fundas dores, alegrias e aspirações.

O melodrama clássico americano

(Opção, 12 ECTS – Mário Jorge Torres)

Um estudo do melodrama cinematográfico, centrado na obra fundamental de Douglas Sirk e nas suas relações com os cineastas que o precederam e o complementaram, no contexto do cinema industrial americano.

1. As origens do melodrama: da ópera ao teatro romântico e às outras artes.

2. O melodrama cinematográfico na transição do mudo para o sonoro.

3. O melodrama da Depressão e as alterações trazidas pela Guerra.

4. Frank Borzage, King Vidor e John M. Stahl: o estabelecimento de uma tradição.

5. Douglas Sirk e o melodrama dos anos 50: oposições e complementaridades com Vincente Minnelli e Henry King.

6. Breve consideração sobre a importância de Sirk no melodrama pós-clássico, de Todd Haynes a Baz Luhrmann, passando pelos europeus Rainer Werner Fassbinder, Pedro Almodóvar ou François Ozon.

Seminário de Orientação 2

(Clara Rowland)

2012/2013

Letras e Literaturas Europeias
(Tópicos em Comparatismo 1, 12 ECTS – Helena Buescu e Joana Moura)

Reflexão sobre o conceito de literaturas europeias no quadro da literatura-mundo. Relações com literatura comparada, possibilidades e limites. A conformação teórica dos conceitos. As relações com o fenómeno e a teoria da tradução. A distância cultural e crítica como forma de interrogação e interesse. Textos de: Sófocles, Santo Agostinho, Pico della Mirandola, Camões, Shakespeare, Racine, Goethe, Dostoiévski e Camilo Pessanha.


Da vida das marionetas: figuras do corpo animado na literatura e no cinema
(Tópicos em Comparatismo 2, 12 ECTS – Clara Rowland)

Tomando como ponto de partida a leitura “autónoma e parasitária” de Pinóquio por Giorgio Manganelli (Pinocchio: un libro parallelo), este seminário irá concentrar-se sobre as figuras da marioneta, do autómata e do ventríloquo, interrogando o problema da animação do corpo inanimado e a sua relevância para questões de representação na literatura e no cinema. Serão considerados ensaios de Kleist, Baudelaire, Freud, Rilke e Artaud, textos de Hoffmann, Landolfi, Philip Roth e filmes de Bergman, Powell e Pressburger, Pasolini e Kitano.

Black Paris
(Tópicos em Comparatismo 3, 12 ECTS – Eileen Julien, Indiana University Bloomington)

As early as the 1800s, free New Orleanians of color journeyed to France, a country that seemed to offer them greater freedom.  Since then, countless African Americans, including writers, musicians, visual artists, and performers, have made Paris or France--however temporarily—their home.  By examining the lives and work of Josephine Baker, James Baldwin, Claude McKay, Richard Wright, and African, Caribbean, and French intellectual counterparts (Aimé Césaire, Jean Genêt, Jean Paul Sartre, Léopold Sédar Senghor), we will consider the broad intellectual issues arising from this displacement: the historical and cultural ties of New Orleans to the Caribbean and France, migration and exile, “African primitivism” and the jazz age, the Harlem Renaissance and the négritude movement, transnationalism, race and the performance of identity.


A palavra e o gesto: a alma épica
(Seminário Interartes, 12 ECTS – José Pedro Serra)

Canto primeiro e original, a epopeia revela, desde Homero, uma específica visão do homem, do mundo e da vida, na qual se desenha um desejo de glória e de imortalidade nascidos na aguda consciência da morte, na aspiração ao Absoluto que borda a finitude da humana condição. Procuraremos saber em que consiste o gesto épico, que generosidade o anima, por que palavra se expressa, de que forma atravessou os séculos e ganhou voz nas diversas sociedades. Mover-nos-á, enfim, a tentativa de compreender a especificidade de uma mundividência épica e de que forma é ainda hoje a epopeia um rosto nosso, rosto em que se cruzam as mais fundas dores, alegrias e aspirações.

Seminário Internacional Literature and Change in Europe (LACE)
(Seminário em e-learning. Em colaboração com as Universidades de Aarhus, Bolonha, Granada, Groningen, Leuven e Tartu. Em inglês.)

The course gives an in-depth view on new ways of approaching literature, in an extended sense, ranging from magazines to digital literature. The strong emphasis on intermediality aims to provide students with the necessary innovative tools for understanding the changing paradigms in postmodernity. We will especially focus on the interplay between literature, oral and visual culture, as well as to key concepts in cultural and textual analysis, such as literacy, fictionality, transmediality, popular culture, hybridity and creolisation. Finally, the context against which we will place these concepts is “Europe”: challenging classical conceptions of Europe as a geographical (continental), homogeneous entity and epistemological framework, we will propose a more fluid concept: Europe as a changing matrix of (cultural, political, economical) values where post-colonial migrations and globalisation are quickly reconfiguring its old, hegemonic position on the global map.

Performance e os espaços da contemporaneidade 
(Opção, 12 ECTS – Manuela Carvalho)

Os Estudos de Performance têm uma longa história de relações com as artes visuais e os media. Desde as várias práticas teatrais, rituais, festivais, até às mais recentes performances multimédia e instalações, encontramos um campo de análise rico e que nos permite explorar questões relacionadas com a percepção e experiência.  
Tomando o espaço urbano como espaço da contemporaneidade por excelência, este seminário pretende analisar um conjunto de objectos, modos de expressão cultural e práticas artísticas contemporâneas, desde vídeo, documentários, fotografia, arquitectura, cenografia, instalações e performances urbanas, relacionando-os com teorias e políticas de produção de espaço e do quotidiano e teorias de cultura visual.
Alguns artistas que serão alvo de estudo são Sophie Calle, Rachel Witheread, Banksy, Christo, Richard Wentworth, Janet Cardiff, os Gémeos, Joana Vasconcelos, Marta Traquino, Sérgio Tréfaut, Gabriela Vaz-Pinheiro, entre outros.

Seminário de Investigação

(Helena Buescu)

Elaboração de Tese

(Helena Buescu)

2011/2012

Literatura e ideia de livro: Graciliano RAMOS, João Cabral de Melo e João Guimarães Rosa

(Tópicos em Comparatismo 1, 12 ECTS - Clara Rowland)

O seminário propõe uma discussão da ideia de livro a partir de uma leitura aprofundada de um conjunto heterogéneo de textos literários em que a materialidade da forma-livro se expõe e problematiza. Será dado particular destaque a um grupo de três livros: São Bernardo de Graciliano Ramos, A Educação pela Pedra de João Cabral de Melo Neto e Grande Sertão: Veredas de João Guimarães Rosa. Objectivos: o seminário pretende desenvolver competências avançadas de compreensão e produção crítica e aprofundar capacidades de leitura, de articulação, de reflexão e de argumentação aplicadas a um corpus literário e ensaístico heterogéneo, reforçando a capacidade de constituição de relações e problemas teóricos a partir do estudo crítico das obras seleccionadas e dos tópicos propostos.

Temas e conceitos de teoria da cultura

(Tópicos em Comparatismo 2, 12 ECTS – António Sousa Ribeiro, Universidade de Coimbra)
Partindo de uma reflexão preliminar sobre o conceito de cultura, a unidade abordará um conjunto de noções relevantes para a problematização desse conceito numa perspectiva contemporânea, tais como, entre outras, linguagem, identidade, nação, fronteira, memória, multiculturalismo, interculturalidade, diáspora, globalização, tradução, pós-colonialismo. Essa abordagem permitirá trazer à discussão aspectos da história da cultura, nomeadamente da cultura portuguesa, e, em simultâneo, fornecer instrumentos teóricos para um entendimento contextual das práticas culturais contemporâneas. As questões da técnica e dos novos media e da relação entre cultura e violência no horizonte contemporâneo merecerão atenção especial.

Estudos de memória

(Tópicos em Comparatismo 3, 12 ECTS – Fernanda Gil Costa)

Os Estudos de Memória têm dado um importante contributo para reler e reformular arquivos de diversos tipos, revendo textos e traços para renegociar a relação entre passado e presente, memoria privada e colectiva. Partindo de diversas representações do passado (arte, museu, fotografia, memorial, etc), pretende-se questionar os caminhos de inscrição da memória em registos variados, bem como as suas exclusões. Objectivos: criar condições para o desenvolvimento de projectos consistentes e actualizados na área do comparatismo, estimulando o sentido critico dos estudantes e a sua capacidade de investigação e criatividade em torno de um tema actual: estudos de memória.

 

(In)seguranças: depois do 11 de Setembro de 2001

(Opção, 12 ECTS – Susana Araújo)
Este seminário pretende analisar o modo como ansiedades sobre segurança têm influenciado representações literárias da cidade na Europa e nos E.U.A. nas últimas duas décadas. Apesar das políticas e práticas de segurança apresentarem uma importância cada vez maior nas agendas políticas, o seu impacto no nosso panorama cultural e literário ainda não foi analisado sistematicamente. Analisaremos a forma como determinadas imagens, mensagens e metáforas circulam entre os média (especialmente os média visuais) e como estas são transformadas e re-trabalhadas por escritores contemporâneos na Europa e nos E.U.A. Objectivos: leitura crítica de textos literários e visuais sobre (In)seguranças e das relações entre ambos; análise de conceitos, noções e fenómenos como “segurança”, “9/11”, “guerra ao terror”, “medo” e “fantasia” e da ligação destes com a cultura e com a literatura em particular; estudo das intersecções entre política, literatura e psicanálise; estudo de intertextualidades e intermedialidades na construção da retórica de (in)segurança.

A palavra e o gesto: a alma épica

(Seminário Interartes, 12 ECTS – José Pedro Serra)

Canto primeiro e original, a epopeia revela, desde Homero, uma específica visão do homem, do mundo e da vida, na qual se desenha um desejo de glória e de imortalidade nascidos na aguda consciência da morte, na aspiração ao Absoluto que borda a finitude da humana condição. Procuraremos saber em que consiste o gesto épico, que generosidade o anima, por que palavra se expressa, de que forma atravessou os séculos e ganhou voz nas diversas sociedades. Mover-nos-á, enfim, a tentativa de compreender a especificidade de uma mundividência épica e de que forma é ainda hoje a epopeia um rosto nosso, rosto em que se cruzam as mais fundas dores, alegrias e aspirações. Objectivos: partindo da leitura de diversas epopeias – começando na Ilíada e terminando com textos contemporâneos -  este programa, problematizando a própria noção de epopeia, visa delinear os traços fundamentais de uma visão épica do mundo e da vida. Simultaneamente, debruçar-nos-emos sobre expressões deste “espírito épico” na música, nas artes plásticas, no cinema, na política.

Crioulização cultural e pós-colonialidade
(Opção, 12 ECTS – Kristian Van Haesendonck)

É objectivo do seminário uma abordagem crítica e comparatista de textos chave da teoria e literatura pós-coloniais escritas por intelectuais sobre os tópicos da condição colonial e pós-colonial em relação com o processo da crioulização, a fim de desenvolver as competências de investigação e fomentar o interesse dos estudantes graduados na área dos estudos pós-coloniais. Analisar-se-á criticamente o alcanço do processo de crioulização na era da globalização e colonialismo lite, e as possibilidades e limitações do conceito no âmbito dos estudos pós-coloniais e culturais.  A partir de um corpus de textos teóricos (Said, Benítez-Rojo, Bhabha, Glissant) bem como ficcionais – centrando-se estes sobre a literatura das Caraíbas – serão analisados os conceitos de (pós-)colonial, império, crioulização, hibridez e diaspora de forma a criar um enquadramento que permita estudar uma grande variedade de textos literários e artefactos culturais que abordem de diferentes perspectivas a temática da crioulização e da condição pós-colonial.

2010/2011

Memória das emoções - Recordar e sentir na literatura e no cinema

(Tópicos em Comparatismo 1, 12 ECTS – Fernanda Mota Alves e Luísa Soares)
A modernidade tem sido predominantemente pensada a partir da noção do primado da racionalidade como elemento estruturante em todos os domínios da cultura. No entanto, nela prevaleceram, enquanto complemento e até reverso do mesmo fenómeno, outros discursos que articulam o poder formador e/ou disruptivo dos afectos e que igualmente se mantiveram até aos nossos dias como referência sempre renovada.
Ao mesmo tempo, verifica-se na cultura contemporânea um interesse generalizado e quase obsessivo pelas questões associadas à memória, sobretudo no que diz respeito aos acontecimentos mais marcantes do século XX.
Tomando como ponto de partida momentos da história contemporânea (o Holocausto, a guerra colonial portuguesa e o “11 de Setembro”), propomo-nos reflectir sobre o modo como as emoções intervêm na modelação da memória, considerando igualmente o fenómeno inverso. 

 

Memórias fragmentadas: revisitar o império 

(Tópicos em Comparatismo 2/Estudos de Tradução, 12 ECTS – Kristian Van Haesendonck e Fernanda Gil Costa)
É objectivo do seminário uma abordagem crítica de ensaios fundamentais da teoria pós-colonial escrita por intelectuais sobre o tópico da condição colonial e pós-colonial. Serão analisados os conceitos de império, imperialismo, colonial e pós-colonial de forma a criar um enquadramento que permita estudar uma grande variedade de textos literários e artefactos culturais que abordem de diferentes perspectivas a temática imperial e pós-colonial. Assim, serão discutidos dois casos exemplares : a experiência do Caribe e a condição lusófona (pós)-colonial. A ligação dos dois casos será questionada se forma a permitir a compreensão do modus operandi e das consequências do colonial e do imperialismo e ainda a sua capacidade de transformação e sobrevivência através de avatares (neo-colonial, colonialismo “light”) na era da globalização. 

Comparar Pessoa

(Tópicos em Comparatismo 3, 12 ECTS – Helena C. Buescu)
As relações entre a obra de F. Pessoa e o ambiente cultural de finais do século XIX e princípio do século XX. Cada sessão estabelecerá um diálogo entre diferentes textos pessoanos, de diferente assinatura heteronímica, e vários poetas e escritores em prosa, de literaturas nacionais, tradições poéticas e momentos diversificados. Não se trata de estabelecer redes de influência ou conhecimento mútuo, mas de reconhecer padrões de problemas, de perguntas e respostas, de temas e motivos, de angústias modernas e relações antigas. O gesto antológico guiará as nossas leituras: ele guia e valida o gesto interpretativo. Tópicos: o teatro do ser: o poeta como “drama em gente”; modernismo e concepções do presente, passado e futuro: “avant-gardes” e “arrières-gardes”; “cityscapes”, “flâneur” e deambulação; a apropriação das tradições literárias: continuidade, contradição e deglutição; a reificação da realidade e a poesia da natureza; as idades do homem.

Mitos do conhecimento e tragédias de amor

(Estudos Interartes, 12 ECTS – José Pedro Serra) 

A sedução pelo saber, na ambiguidade de um duplo rosto que a caracteriza – entendida ora como nobilíssima expressão da mais funda vocação humana, ora como orgulhoso gesto que arrisca as vestes de uma sacrílega impiedade –, e a paixão amorosa, abrasamento carnal de um desejo que aspira a algo mais, materializaram-se, desde tempos longínquos, em narrativas exemplares, mitos, que constituíram temas centrais de uma tradição cultural que nunca os abandonou. Prometeu ou Fausto, Salomé ou D. Juan, para não falar do adâmico paraíso e da árvore da sabedoria, são algumas das referências que rasgam um horizonte onde o desejo amoroso e a aspiração ao saber correm como águas férteis. 
O objectivo deste seminário é estudar alguns destes mitos, como foram recriados e interpretados ou como outros foram forjados, na literatura e na filosofia, mas também na música, no cinema, no teatro e nas artes plásticas.

(In)seguranças: depois do 11 de Setembro de 2001

(Seminário opcional intensivo, 12 ECTS – Susana Araújo)

A 11 de Setembro de  2011 completam-se 10 anos sobre o ataque terrorista ao World Trade Center em Nova Iorque. O objectivo deste seminário é apreciar criticamente as consequências deste evento nos contextos artístico, cultural e político dos últimos oito anos nos EUA, nos países ocidentais e em várias línguas e média. Estarão em foco, entre outros, autores como Don DeLillo, John Updike, Ian McEwan, Joseph O’Neill, Michael Cunningham, Susan Sontag, Susan Faludi.
O programa será dividido em módulos em que colaborarão vários docentes e explorará vários tópicos (terror e sua manipulação, trauma, segurança e políticas securitárias, etc).

From Hawks to Tarantino – Film and the question of genre

(Opção, 12 ECTS – Eyal Peretz, Indiana University Bloomington)

From the very beginning of Hollywood, American cinema has articulated itself along the lines of several major genres – the Comedy, the Western, the Melodrama, the Crime film, and later on, the Musical etc. On the other hand European cinema (the other major cinema dominating the history of 20th-century film) has mainly understood itself according to the category of Art film, not according to genre. This course has several simultaneous aims: first of all, it attempts to trace a history of 20th century film that takes account of this division (between genre and Art film) and attempts to articulate what is at stake in it for our understanding of the nature of the medium of film. Second, it attempts to rethink the very category of genre, demonstrating that the medium of film and its use of genre can help us illuminate this age old category in a new way. Third, it wants to examine the body of work of a particular director, Howard Hawks, who is perhaps the foremost thinker in classical cinema of the question of genre, having created at least one masterpiece in each of the main genres, trying to understand through his work the logic that is at the heart of each of the main cinematic genres (what is it that calls for the comedic, for the melodramatic, for the musical, etc.) as well as the logic that guides the need to transition between them (why would Hawks move from the filming of a western to the filming of a comedy, for example?). 

Seminário Opcional. Créditos a obter em qualquer programa da FLUL.

Seminário de Investigação. Em articulação com o Centro de Estudos Comparatistas da FLUL, privilegiará a participação orientada em conferências.

Elaboração da Dissertação

2009/2010

A tradução como construção de identidades culturais

(Estudos de Tradução, 10 ECTS – Fernanda Gil Costa)
Nas últimas décadas os estudos de tradução desenvolveram sob a orientação dos estudos comparatistas reflexões decisivas sobre conceitos tradicionais dos estudos de tradução e dos estudos culturais como transferência, equivalência, identidade, alteridade e estrangeiro, recorrendo também a pesquisas sistemáticas sobre a história da própria ideia de tradução (com destaque para a tradução da Bíblia por S. Jerónimo e mais tarde por Lutero), ao seu contributo para a ideia de "literatura mundial", bem como ao papel desempenhado pela chamada literatura de segunda mão na definição dos cânones literários nacionais e mundiais. Este seminário destina-se a familiarizar os estudantes de estudos comparatistas com a problemática descrita e adoptará uma perspectiva descritiva e predominantemente teórica para desenvolver os tópicos enunciados.

Comparar Pessoa

(Tópicos em Comparatismo 1, 10 ECTS – Helena C. Buescu, Jussara Rezende e Francesca Negro)
O seminário ocupar-se-á das relações entre a obra de Fernando Pessoa e o vibrante ambiente cultural dos finais do século XIX e do princípio do século XX. Cada sessão estabelecerá um diálogo entre diferentes textos pessoanos, de diferente pertença heteronímica, e vários poetas e escritores em prosa, de diversas literaturas nacionais, de diferentes momentos e tradições poéticas. Não se trata tanto de estabelecer redes de influência ou conhecimento mútuo, mas de reconhecer padrões de problemas, de obsessões, de perguntas e respostas, de temas e motivos, de angústias modernas e relações antigas. Alguns dos nomes que cruzarão o caminho de Pessoa serão, entre outros: Baudelaire; Cesário Verde; Walt Whitman; Camilo Pessanha; Paul Valéry; Mário Sá-Carneiro; Marinetti; Federico Garcia Lorca; Eugenio Montale; T. S. Eliot; André Gide; A. Roland Holst; Saint-John Perse; António Machado; W. B. Yeats; Guillaume Appollinaire; Paul Van Ostaijen, Marcel Proust; Jorge Luis Borges; Oswald de Andrade. O gesto antológico guiará as nossas leituras. Pressupõe-se que ele guia e valida o gesto interpretativo. 
Eis alguns dos tópicos que investigaremos - o teatro do ser: o poeta como “drama em gente”; o modernismo e as concepções do presente, do passado e do futuro: "avant-gardes" e "arrières-gardes" (baralhar e dar de novo); "cityscapes", o "flâneur" e a deambulação; a apropriação das tradições literárias: continuidade, contradição e deglutição; a reificação da realidade e a poesia da natureza; as idades do homem.

Mitos do conhecimento e tragédias de amor

(Estudos Interartes, 10 ECTS – José Pedro Serra)
A sedução pelo saber, na ambiguidade de um duplo rosto que a caracteriza – entendida ora como nobilíssima expressão da mais funda vocação humana, ora como orgulhoso gesto que arrisca as vestes de uma sacrílega impiedade –, e a paixão amorosa, abrasamento carnal de um desejo que aspira a algo mais, materializaram-se, desde tempos longínquos, em narrativas exemplares, mitos, que constituíram temas centrais de uma tradição cultural que nunca os abandonou. Prometeu ou Fausto, Salomé ou D. Juan, para não falar do adâmico paraíso e da árvore da sabedoria, são algumas das referências que rasgam um horizonte onde o desejo amoroso e a aspiração ao saber correm como águas férteis. O objectivo deste seminário é estudar alguns destes mitos, como foram recriados e interpretados ou como outros foram forjados, na literatura e na filosofia, mas também na música, no cinema, no teatro e nas artes plásticas.

Memória das emoções - Recordar e sentir na literatura contemporânea

(Tópicos em Comparatismo 2 – Fernanda Mota Alves e Luísa Soares) 
A modernidade tem sido predominantemente pensada a partir da noção do primado da racionalidade como elemento estruturante em todos os domínios da cultura. No entanto, nela prevaleceram, enquanto complemento e até reverso do mesmo fenómeno, outros discursos que articulam o poder formador e/ou disruptivo dos afectos e que igualmente se mantiveram até aos nossos dias como referência sempre renovada. Ao mesmo tempo, verifica-se na cultura contemporânea um interesse generalizado e quase obsessivo pelas questões associadas à memória, sobretudo no que diz respeito aos acontecimentos mais marcantes do século XX.
Tomando como ponto de partida momentos da história contemporânea (o Holocausto, a guerra colonial portuguesa e o “11 de Setembro”), propomo-nos reflectir sobre o modo como as emoções intervêm na modelação da memória (individual, comunicativa e cultural), considerando igualmente o fenómeno inverso. Serão estudados textos literários, entre outros, de Ruth Klüger, Marguerite Duras, António Lobo Antunes e Don DeLillo. Serão igualmente considerados filmes recentes que de algum modo equacionam esta problemática.  

Idiots, fools & madmen: dialogues with Dostoevsky in world fiction, film & theory 

(Opção, 10 ECTS – Sharon Lubkemann Allen, State University of New York)
This seminar problematizes the refraction of modern philosophical, ideological, and aesthetic debates through literary representations of the pathological. We define the domain of our investigation through close, contextually-informed and critically engaged reconsideration of Dostoevsky's fictions (early stories, Notes from UndergroundThe Idiot). Following a peculiarly urban/e line of literary and cinematic successors (Kafka, Pessoa, Bulgakov, Sokolov, Lins, Saramago, Pelevin, Petrushevskaia; Bresson, Bergman, Tarkovsky, Sokurov among them) in dialogue with theorists (ranging from Nietszche to Bakhtin, Deleuze and Guattari, Boym and Epstein), we take Dostoevsky's figures of the perverse, mad, paradoxicalist, eccentric, idiot, and fool as "guides" in our investigation of disease, disintegration, digression, dissembling, dissent, "defamiliarization," "deterritorialization," and the tasks of fiction.

Seminário Opcional. Créditos a obter em qualquer programa da FLUL.

Seminário Opcional. Créditos a obter em qualquer programa da UL ou de outra instituição do ensino superior.

Seminário de Investigação. Em articulação com o Centro de Estudos Comparatistas da FLUL, privilegiará a participação orientada em conferências.

2008/2009

A tradução como construção de identidades culturais

(Estudos de Tradução, 10 ECTS – João Ferreia Duarte)
Traduzir não é uma mera transferência de sentidos entre línguas com vista a alcançar uma suposta “fidelidade” com um texto de partida, antes implica a construção de identidades no contacto com o Outro, o estranho/estrangeiro; envolve interpretações, apropriações governadas por redes de poder, normas, valores e interesses que actuam na cultura de chegada. Neste seminário, onde se seguirá prioritariamente uma perspectiva histórica e descritiva da tradução, serão lidos e discutidos textos teóricos, de S. Jerónimo a Lawrence Venuti, e observados alguns estudos de caso que permitirão desenvolver o tópico.

 
Deslocações, estrangeiros, exílios

(Tópicos em Comparatismo 1, 10 ECTS – Helena C. Buescu e Francesca Negro)
Pretende-se olhar para diferentes formas de deslocação como outros tantos modos de “estrangeirar”(-se). O que é preciso para que alguém se sinta estrangeiro? Como é possível ser estrangeiro na sua própria terra? Que relações tem isto com diferentes formas de deslocação, como a viagem, o exílio, a emigração, a cartografagem, a viagem do “etnógrafo”? Como podemos situar estas questões dentro de um quadro mais vasto em que fazem sentido conceitos como testemunho, trauma, memória cultural, esquecimento?
Percorrendo um conjunto voluntariamente diversificado e heterogéneo de textos, o seminário preocupar-se-á em olhar para as formas como eles tematizam e configuram o conjunto de problemas acima indicado: a estase do passado resolve-se na dinâmica do presente.
Textos: Bíblia (Êxodo, 12:29 – 19:25); Eurípides, Medeia; Konstandinos Kavafis, “À espera dos bárbaros” (versão inglesa digitalizada); Bernardo Carvalho, Mongólia; O. Pamuk, Istambul; Primo Levi, A Trégua; Michel de Montaigne, Ensaios; Albert Camus, A Peste.

 
Visões do Oriente: medos e seduções

(Estudos Interartes, 10 ECTS – Ana Paula Laborinho)
A partir do entendimento de Edward Said sobre o orientalismo enquanto perspectiva ocidental, o seminário explora várias práticas artísticas que representam discursos europeus sobre a China e o Japão. Tomando as colecções do Museu do Oriente (Lisboa), em que se inclui a colecção de arte chinesa de Camilo Pessanha (1867-1926), exploraremos os seus estudos sobre a civilização chinesa, bem como as reflexões de Victor Segalen (1878-1919) em contraste com Pierre Loti (1850-1923) e Giacomo Puccini (1858-1924). Consideraremos ainda os trabalhos de reescrita de Pessanha, António Feijó (1861-1926) e Ezra Pound (1885-1972).

 
On incomprehensibility

(Tópicos em Comparatismo 2, 10 ECTS – Herb Marks, Indiana University Bloomington)
Taking as starting point the critical aphorisms of the Jena school and Friedrich Schlegel’s essay “On Incomprehensibility,” this course will consider the role of obscurity in poetry--or, to put it more starkly, the relation of literary language to the unspeakable. Why are riddle and enigma the vehicles of choice for traditional “wisdom”? Are there continuities between literary obscurity and the lure of the occult? How useful is the Freudian model of manifest and latent, surface and depth, for the understanding of figurative language, and how might it be modified in light of contemporary chaos theory? What do we mean by “difficult pleasures”? How should one respond to the student or naive reader who says of a poem, “I like it because I understand it”? 
Keeping these and similar questions in mind, we shall focus each session on the intensive reading of a small number of canonical texts which go out of their way to resist comprehension. These will range from biblical proverbs and parables to poems and critical prose by such modern writers as Dickinson, Mallarmé, Stevens, Crane, Celan, and Ashbery. In addition to the German Romantics, there will be brief theoretical writings by Augustine, Burke, Schleiermacher, Freud, Empson, Riffaterre, and Angus Fletcher. (Readings are still tentative.)
Written work: an occasional response paper and a final essay on a topic chosen by the student.

Seminário Opcional. Créditos a obter em qualquer programa da FLUL.

Seminário Opcional. Créditos a obter em qualquer programa da UL ou de outra instituição do ensino superior.

Seminário de Investigação. Em articulação com o Centro de Estudos Comparatistas da FLUL, privilegiará a participação orientada em conferências.

2007/2008

A tradução como construção de identidades culturais

(Estudos de Tradução, 10 ECTS – João Ferreia Duarte)
Traduzir não é uma mera transferência de sentidos entre línguas com vista a alcançar uma suposta “fidelidade”, antes implica a construção de identidades no contacto com o Outro, o estranho/estrangeiro: envolve interpretações, apropriações governadas por redes de poder, normas, valores e interesses que actuam na cultura de chegada. Neste seminário, onde se seguirá uma perspectiva histórica e descritiva da tradução, serão lidos e discutidos textos teóricos e observados alguns estudos de caso que permitirão desenvolver o tópico.

Deslocações, estrangeiros, exílios

(Tópicos em Comparatismo 1, 10 ECTS – Helena C. Buescu e Francesca Negro) 
Pretende-se olhar para diferentes formas de deslocação como outros tantos modos de “estrangeirar”(-se). O que é preciso para que alguém se sinta estrangeiro? Como é possível ser estrangeiro na sua própria terra? Que relações tem isto com diferentes formas de deslocação, como a viagem, o exílio, a emigração, a cartografagem, a viagem do “etnógrafo”? Como podemos situar estas questões dentro de um quadro mais vasto em que fazem sentido conceitos como testemunho, trauma, memória cultural, esquecimento?
Percorrendo um conjunto voluntariamente diversificado e heterogéneo de textos, o seminário preocupar-se-á em olhar para as formas como eles tematizam e configuram o conjunto de problemas acima indicado: a estase do passado resolve-se na dinâmica do presente.
Textos: Bíblia (Êxodo, 12:29 – 19:25); Eurípides, Medeia; Konstandinos Kavafis, “À espera dos bárbaros” (versão inglesa digitalizada); Bernardo Carvalho, Mongólia; O. Pamuk, Istambul; Pedro Rosa Mendes, A Baía dos Tigres; W. G. Sebald, Os Emigrantes.


Naturalismo(s). A flora em delírio

(Estudos Interartes, 10 ECTS – Kelly Basílio) 
Botticelli, Flora ou A Primavera; Poussin, Le Triomphe de Flore (O Triunfo de Flora);
Zola, La Faute de l'abbé Mouret (O Crime do abade Mouret); Proust, A l'ombre des jeunes filles en fleurs (À sombra das raparigas em flor).
A notável constância da alegoria vegetal na criação artística e literária ao longo dos séculos revela similitudes essenciais entre estéticas e poéticas que, no entanto, a doxa crítica considera como sendo radicalmente distintas. Poéticas e estéticas do desejo, cujo intuito fundamental transparece na exaltação de uma mesma natura naturans, sob o manto tradicional do topos ou do mito ou o uso moderno do tropo. Deste modo, propõe-se revisitar as etiquetas tradicionais.


Rotas europeias e o Atlântico negro: migração, identidade e a “Europa” pós-colonial

(Tópicos em Comparatismo 2, 10 ECTS – Manuela Ribeiro Sanches)
O seminário pretende oferecer uma introdução à abordagem pós-colonial, não se esgotando no que se convencionou designar de estudos pós-coloniais ou teoria pós-colonial, mas antes articulando essas propostas com as dos Black British Cultural Studies (Stuart Hall, Paul Gilroy, Kobena Mercer).
A leitura de um conjunto de textos sobre a viagem ou migração na Europa (Leila Aboulela, The Translator, Joaquim Arena, A verdade de Chindo Luz, Tete-Michel Kpomassie, An African in Greenland, Tayeb Salih, Season of Migration to the North, Caryl Phillips, A Distant Shore, Pepetela, A geração da utopia) será associada à análise de exemplos da cultura visual (Ângela Ferreira, Isaac Julien, Manthia Diawara, Mitra Tabrizian, Francisco Vidal), perspectivando-se o passado e o presente europeus segundo as rotas do Atlântico Negro (Paul Gilroy), na atenção a fenómenos e experiências que requerem que se repense e desestabilize o conceito de Europa segundo os modelos clássicos (Dipesh Chakrabarty, Robert Stam/Ella Shohat).
Atender-se-á ainda à necessidade de se rever questões ligadas às identidades (culturais e disciplinares) e às correspondentes narrativas (historiográficas) em torno da literatura, da arte e do cinema nacionais (Araeen, Enwezor, Mercer, Naficy).

Seminário Opcional. Créditos a obter em qualquer programa da FLUL.

Seminário Opcional. Créditos a obter em qualquer programa da UL ou de outra instituição do ensino superior.

Seminário de Investigação. Em articulação com o Centro de Estudos Comparatistas da FLUL, privilegiará a participação orientada em conferências.

2006/2007

A tradução como construção de identidades culturais

(Estudos de Tradução, 15 ECTS – João Ferreira Duarte)

Traduzir não é uma mera transferência de sentidos entre línguas com vista a alcançar uma suposta “fidelidade”, antes implica a construção de identidades no contacto com o Outro, o estranho/estrangeiro: envolve interpretações, apropriações governadas por redes de poder, normas, valores e interesses que actuam na cultura de chegada. Neste seminário, onde se seguirá uma perspectiva histórica e descritiva da tradução, serão lidos e discutidos textos teóricos e observados alguns estudos de caso que permitirão desenvolver o tópico.

 

Livros, histórias e relatos como lugares de encontro

(Tópicos em Comparatismo, 15 ECTS – Helena C. Buescu)
O seminário indagará as várias formas de “palavras” e “trocas de palavras” como modalidades de encontro entre indivíduos. O discurso, enquanto forma de mediação, pode também ser visto como trânsito – uma espécie de viagem entre pessoas, um modo de tornar possível (e tantas vezes impossível) o encontro interpessoal. Em resumo, investigar-se-á se e como as “histórias” (e sua variedade), em todos os textos propostos, são também modos de promover, construir, retardar ou impedir os encontros. Cada um dos textos examinados propõe uma “cena-com-palavras” através da qual as personagens tentam desesperadamente encontrar algo, alguém. Será que o conseguem – e como? Ou então: porque e de que modo falham? Como podem as palavras funcionar como lugar de encontro – ou seja, como metáfora? Como podem encontros inesperados substituir encontros esperados? TEXTOS: Dostoiévski, Noites Brancas; Luchino Visconti, Noites Brancas; J.-M. Coetzee, The Master of Petersburg; Ovídio, Metamorfoses; Christoph Ransmayr, The Last World; José Saramago, O Ano da Morte de Ricardo Reis.

 
Ficcionar o eu, criar imagens

(Estudos Interartes, 10 ECTS – Paula Morão)
O estudo de textos dos autores seleccionados permitirá trabalhar modos de representação do sujeito e do seu mundo através da criação de imagens, por recurso retórico a processos visuais. O corpus textual será posto em relação com obras de pintura, fotografia e cinema problematizando a auto-representação.
Corpus: Mário de Sá-Carneiro (Céu em fogo, 1915); poemas e outros textos de Eugénio de Andrade; Herberto Helder (Photomaton & Vox,1978); Carlos de Oliveira (Finisterra – Paisagem e povoamento, 1978).

  
Cultural translations & literary departures

(Tópicos em Comparatismo, 10 ECTS – Akin Adesokan, Indiana University Bloomington)
In this course designed to examine the traditions of adaptation and translation in postcolonial literary texts, students will become familiar with conceptual issues regarding the politics of cultural translations, focusing on the socio-political contexts in which postcolonial writers engage antecedent canons, especially those of the colonizing societies. Although the primary focus will be on contemporary writers of Anglophone worlds, we will also examine the antecedent/canonical texts to get a sense of what the postcolonial texts are departing from. In these literary conversations that span societies, genres and periods, the course is going to be especially concerned with the questions of how dominant practices are reproduced as cultural bias in literary representation, and how adaptations open doors to new understanding. 
Each text will be examined in historical-political context as well as within the generic tradition in which it is generated. (For example, a play-text by Soyinka will be read in the political context of Negritudinist aesthetics, and as a dramatic work keenly aware of classical Elizabethan/ Shakespearean staging traditions.). Readings will include Shakespeare’s The Tempest, Cesaire’s Une Tempête, Derek Walcott’s Pantomime, Rita Dove’s On the Bus with Rosa Parks, Soyinka’s Opera Wonyosi, Nadine Gordimer’s July’s People, John Gay’s Beggars’ Opera, and Coetzee’s Foe.

Seminário Opcional (10 ECTS). Qualquer seminário de um mestrado da FLUL ou de outra Faculdade da Universidade de Lisboa.

Seminário de Orientação 1 (30 ECTS). Em articulação com o Centro de Estudos Comparatistas da FLUL, privilegiará a participação orientada em conferências.

Seminário de Orientação 2 (30 ECTS).

(João Ferreira Duarte)
O Seminário de Orientação tem por fim acompanhar os alunos na investigação no âmbito dos seus projectos de dissertação, ao mesmo tempo que, em articulação com os orientadores, oferece um forum de discussão colectiva do seu “work in progress”.

2005/2006

A tradução como comunicação intercultural

(Estudos de Tradução, 15 ECTS – Alexandra Assis Rosa)
O seminário tem como objectivo fornecer instrumentos de análise linguística da tradução como processo comunicativo intercultural, cuja aplicação permitirá evidenciar quer o seu funcionamento como processo e produto inseridos no contexto sociocultural de chegada quer o papel do tradutor como mediador intercultural. Para sublinhar a relevância de factores contextuais no processo tradutório, serão abordadas questões de referência para o estudo descritivo da tradução, preparatórias do trabalho aprofundado com as propostas de Basil Hatim e Ian Mason, no tocante ao estudo da tradução como transacção comunicativa, acção pragmática e interacção semiótica, importando resultados da investigação recente em Sociolinguística, Análise do Discurso, Pragmática e Semiótica. Bibliografia básica a utilizar no seminário: 1)Hatim, Basil and Mason, Ian. 1990. Discourse and the Translator. London and New York: Longman. 2) Hatim, Basil and Mason, Ian. 1997. The Translator as Communicator. London and New York: Routledge. 3) Hatim, Basil. 1997. Communication Across Cultures. Exeter: University of Exeter Press. O seminário contará com a colaboração do Professor Ian Mason (Univ. Heriot-Watt).

Livros, histórias e relatos como lugares de encontro

(Tópicos em Comparatismo, 15 ECTS – Helena C. Buescu)

O seminário indagará as várias formas de “palavras” e “trocas de palavras” como modalidades de encontro entre indivíduos. O discurso, enquanto forma de mediação, pode também ser visto como trânsito – uma espécie de viagem entre pessoas, um modo de tornar possível (e tantas vezes impossível) o encontro interpessoal. Em resumo, investigar-se-á se como as “histórias” (e sua variedade), em todos os textos propostos, são também modos de promover, construir, retardar ou impedir os encontros. Cada um dos textos examinados propõe uma “cena-com-palavras” através da qual as personagens tentam desesperadamente encontrar algo, alguém. Textos: Dostoiévski, Noites Brancas; Luchino Visconti, Noites Brancas; J.-M. Coetzee, The Master of Petersburg; Joseph Conrad, Heart of Darkness; Francis Ford Coppola, Apocalypse Now; José Saramago, Todos os Nomes. O seminário contará com a colaboração dos Professores Vítor Aguiar e Silva (Univ. Minho), Patrizia Lombardo (Univ. Genève) e Laura Caretti (Univ. Siena).

 
Palavras e imagens: algumas técnicas alucinatórias

(Estudos Interartes, 10 ECTS – Manuel Gusmão)
No seminário ensaiaremos vários percursos possíveis para entendermos aquilo a que chamamos uma imagem e os modos como diferentes artes podem usar imagens para provocar efeitos de tipo “alucinatório”. Os diferentes percursos envolvem a tentativa de resposta a algumas questões. Por exemplo: o que se passa das “Correspondências”, de Baudelaire, à “alucinação simples” e às “Iluminações”, de Rimbaud? O que são os caligramas de Apolinaire? Haverá uma “pintura cubista”? Como descrever e contar uma imagem? Começaremos por interrogar a diferença entre (olhar e) ver e (olhar e) ler, ou a distinção entre as imagens (verbais) literárias e as imagens da pintura, da fotografia ou do cinema; mas esta interrogação passará também pelo estudo de algumas das tentativas de combinar ou de fazer interagir as diferentes artes. Outros percursos poderão levar-nos a perguntar o que há de técnica do corpo (Marcel Mauss) na produção de imagens ou a observar as possibilidades e efeitos artísticos, abertas ou provocados pelas mutações da reproductibilidade técnica (Walter Benjamin).

 
Discurso (pós)colonial e representações da alteridade

(Tópicos em Comparatismo, 10 ECTS – Manuela Ribeiro Sanches )
Os desafios epistemológicos da teoria pós-colonial encontraram na crise da representação proposta pela antropologia “pós-moderna” uma contrapartida decisiva. 
Partindo destas abordagens, propõe-se a análise de uma série de práticas discursivas que, desde o século XVIII, foram decisivas para a constituição de um “Outro” da Europa. Passando pela relação entre modernismo e primitivismo (de Gauguin ao expressionismo alemão), antropologia e surrealismo, tomar-se-á em conta o modo como foi construída uma determinada ideia da “África” (Mudimbe) ou do “Pacífico” (Bernard Smith), - do “canibal” ao “bom selvagem” -, analisando-se alguns exemplos das suas manifestações em etnografias, cinema, arte e literatura. Finalmente considerar-se-á a forma como essas representações têm vindo a ser rearticuladas à luz dos desafios da pós-colonialidade, com particular ênfase nas identidades diaspóricas.

Seminário Opcional (10 ECTS). Qualquer seminário de um mestrado da FLUL ou de outra Faculdade da Universidade de Lisboa.

Seminário de Orientação 1 (30 ECTS). Em articulação com o Centro de Estudos Comparatistas da FLUL, privilegiará a participação orientada em conferências.

Seminário de Orientação 2 (30 ECTS)

(Helena Buescu)
O Seminário de Orientação tem por fim acompanhar os alunos na investigação no âmbito dos seus projectos de dissertação, ao mesmo tempo que, em articulação com os orientadores, oferece um forum de discussão colectiva do seu “work in progress”.