Foi inaugurada no início de Abril a exposição "¡Un brindis por el eL Príncipe! El Vaso Campaniforme en el interior de la Península Ibérica" (2500 – 2000 a. C.) patente no Museu Arqueológico de Alcalá de Henares (Madrid, Espanha) e que inclui, entre outros, o conjunto histórico do sítio arqueológico do Casal do Pardo (Palmela), sítio que tem vindo a ser recentemente investigado no âmbito do projecto PRARRÁBIDA, sob a direcção de Victor S. Gonçalves (UNIARQ, Centro de Arqueologia da ULisboa).

A exposição é centrada nas novas descobertas com espólio campaniforme na região de Madrid (Humanejos, Camino de las Yeseras), integrando o fenómeno no contexto da Península Ibérica e da Europa, e inclui 400 peças provenientes de 22 instituições, entre os quais os conjuntos históricos do Casal do Pardo (Palmela, Portugal), Ciempozuelos (Madrid) e Carmona (Sevilha).

Comissariada por G. Delibes de Castro e Elisa Guerra (Universidade de Valladolid), a mostra conta com a colaboração de Victor S. Gonçalves, Ana Catarina Sousa (UNIARQ-FLUL) e João Luís Cardoso (Univ. Aberta, UNIARQ) que participaram na publicação, em dois volumes, pretendendo ser uma obra de referência para a temática ao nível europeu. É dado especial destaque à necrópole de grutas artificiais do Casal do Pardo localizadas na Quinta do Anjo, em Palmela.

A notícia da exposição e a importância do acervo de espólio do Museu Nacional de Arqueologia (incluindo vários tesouros nacionais portugueses) foi alvo de vários destaques na imprensa nacional e espanhola.

 

Fonte: UNIARQ