A criação do Consórcio de Reflexão para o Português Língua não Materna e Língua de Herança foi formalizada na sede do Camões, I.P., no passado dia 19 de dezembro de 2017. A sessão de assinaturas do protocolo de cooperação foi presidida pelo Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, Dr. José Luís Carneiro, e contou com a presença do Secretário de Estado da Educação, Professor Doutor João Costa.

A Faculdade de Letras da ULisboa (FLUL) e o Centro de Linguística (CLUL), representados nesta sessão, respetivamente, pelo Diretor da FLUL, Professor Doutor Paulo Farmhouse Alberto, e pela Professora Doutora Ana Lúcia Santos, professora associada do Departamento de Linguística Geral e Românica da FLUL, integram este consórcio, criado em associação com a Universidade de Lancaster (Reino Unido), Universidade de Tübingen (Alemanha), a Universidade Nova de Lisboa, a Universidade do Porto e a Universidade do Minho.

 

Entre os objetivos de investigação deste projeto internacional estão “o estudo da motivação dos alunos e dos pais para a aprendizagem do português, mediante inquéritos e entrevistas, e o estudo e reflexão com vista à constituição do primeiro corpus de português língua de herança do mundo, a desenvolver ao longo de cinco anos - através da articulação das CEPE, rede oficial e rede particular, bem como através do contacto junto das missões diplomáticas no estrangeiro que contem com diáspora portuguesa e que não tenham estruturas de coordenação de ensino”, como refere a notícia publicada pelo Camões, I.P. no seu website.

A Universidade de Lancaster será a instituição responsável pelos projetos de investigação a desenvolver no âmbito do protocolo, nomeadamente através do Centre for Corpus Approaches to Social Science(CASS), ali sedeado e financiado pelo Economic & Social Research Council (ESCR).

Leia, também, a notícia publicada pelo "Jornal de Letras" (6/12/2017) a propósito da criação deste consórcio.


Fonte: Camões, I.P.; Texto: Marisa Costa, FLUL- DRE, Núcleo de Imagem, Comunicação e Relações Externas