Cursos 2023/24

Cada seminário é identificado por dois códigos.  Os alunos de mestrado deverão inscrever-se usando o primeiro código; os de doutoramento, o segundo. 
Os seminários têm lugar na sala C244.C, excepto o Seminário de Investigação II, que tem lugar na sala C138.B.

 

TEO4.911535/ TEO7.920259 Introdução ao Estudo Avançado da Literatura

TEO5.922035/ TEO8.922034 Tópicos de Teoria Literária (12 ECTS, S1, 2ª, 9:30-12:30, Miguel Tamen)

Opiniões acertadas sobre literatura

As opiniões acertadas sobre literatura não resultam de termos aplicado as teorias da literatura certas a ficções ou poemas;  implicam porém adquirir e saber examinar opiniões sobre linguagem, histórias, interpretação, arte, e culturas, entre muitas outras coisas; de que poderão decorrer, com sorte e talento, opiniões acertadas sobre literatura.  Neste seminário serão discutidas dez distinções básicas que podem estimular o desenvolvimento de opiniões acertadas sobre literatura.   Exemplos das distinções a examinar são: uso e menção; propaganda, ambiguidade e nonsense; mimese e catarse; familiar e não-familiar; paráfrase e exemplo; fazer e descobrir; nós e eles, entre outras.  As discussões poderão incluir a leitura de fontes bibliográficas relevantes.  Quase todas as semanas os participantes deverão entregar ensaios de entre 300 e 500 palavras, sobre tópicos a indicar na aula.

 

TEO5.922045/ TEO8.922043 Tópicos de Teoria Literária (12 ECTS, S1, 4ª, 14:00-17:00, Carlo Arrigoni)

Sobre o naturalismo: Zola, Verga, Crane

O naturalismo tem sido por muito tempo descrito como um fenómeno retrógrado, firmemente ligado a uma noção de arte como reprodução objectiva ou fotográfica da realidade. Pelo contrário, esse movimento literário internacional, pelo menos nas suas versões mais experimentais, abriu caminho para a ficção do século XX, trazendo para primeiro plano todas as distorções inerentes a qualquer acto narrativo, i.e., as formas como as pessoas representam a realidade de acordo com o seu próprio ponto de vista relativo, informado por interesses, sentimentos, desejos, preconceitos. Essas dinâmicas de representação estarão no cerne deste seminário. Os textos primários incluirão: L'Assommoir de Zola; I Malavoglia e os maiores contos sicilianos de Verga; Maggie, The Red Badge of Courage e alguns dos contos Western e marítimos de Crane; bem como ensaios seminais de Auerbach, Bakhtin, Lukács e Empson. Entre os temas discutidos contar-se-ão também o papel das descrições na narrativa, a representação das classes subalternas e o retrato da relação dos seres humanos com a natureza.

 

TEO5.922083/ TEO8.922084 Tópicos de Teoria Literária (12 ECTS, S1, 5ª, 9:30-12:30, Alberto Arruda)

Sobre fragilidade humana

O seminário consistirá num argumento continuado acerca da fragilidade humana como constituindo a origem de problemas filosóficos, morais, estéticos e políticos.  Na primeira parte do seminário será proposta uma leitura da história da filosofia moderna enquanto história da apreensão filosófica da fragilidade humana. Serão lidos textos de Hobbes (fragilidade enquanto medo: Of Man), Descartes (fragilidade enquanto erro: Meditações) e Rousseau (fragilidade enquanto desigualdade: Discurso sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens).  A segunda parte do seminário será dedicada à leitura de alguns dos herdeiros desta dificuldade deixada pela filosofia moderna. Tentaremos entender de que forma alguns filósofos e um poeta enfrentaram a tarefa de reconciliar a humanidade com a sua fragilidade. Serão lidos textos de Marx (Manuscritos Económico-Filosóficos), Emerson (Self-Reliance), Wittgenstein (Da Certeza) e a peça Os Ladrões de Schiller. 

 

TEO5.922037/ TEO8.922036 Tópicos de Teoria Literária (12 ECTS, S1, 6ª,14:00-17:00, Fotini Hadjittofi)

Rewriting in the Classical and Early Medieval Eras

Is rewriting as creative as writing? Twentieth-century postmodernism placed an emphasis on retelling earlier stories of mythical significance and taught us to appreciate the techniques through which a new text comes into being by reworking and “transposing” a previous text. Rewriting, however, was not invented by postmodernism: it was the chief mode of literary creation for much of the pre-modern period. In classical antiquity, authors adapted myths that would have been familiar to the audience from previous texts, oral narratives, and visual representations. Many classical-era authors also created new texts by translating, paraphrasing, or abridging earlier texts. In the late antique and medieval periods, translation and paraphrasis become essential elements in the ideology and aesthetics of a Christian culture which obsessively rewrites homilies, hagiographies, theological orations, hymns, and even biblical works (for example, by transposing some of the latter into poetry). Ancient and Byzantine commentators and theorists even had their own critical vocabulary to describe the workings of rewriting. This seminar will look at some classical and early medieval rewrites, performing comparative readings between what Genette (Palimpsestes, 1982) calls the hypertext (new text) and the hypotext (model text), and asking how the rewriters themselves seem to conceptualise what they are doing, for whom, and why.

 

TEO5.922039/ TEO8.922038 Tópicos de Teoria Literária (12 ECTS, S2, 3ª, 9:30-12:30, João R. Figueiredo)

Luzes sobre Os Lusíadas

O século das luzes produziu uma quantidade assinalável de textos críticos sobre Os Lusíadas, muitos deles de grande virulência. A partir da discussão de alguns desses textos (Voltaire, José Agostinho de Macedo, entre outros), o seminário procura descrever os problemas maiores identificados pela crítica neoclássica, e, acima de tudo, dar-lhes resposta: desadequação entre matéria e estilo, incoerências nas acções e nas motivações das personagens, incongruência entre o estatuto das personagens e o que elas dizem ou fazem, inconsistências lógicas de vária espécie, falta de unidade e de verosimilhança, uso abusivo da mitologia. Muitas destas observações são parecidas com o que se escreveu na mesma altura sobre Paradise Lost, e esse debate será invocado nos muitos casos em que se revelar pertinente. As questões destacadas pelos críticos de Camões (e de Milton) levantam outras, mais gerais, relacionadas, por exemplo, com o estatuto da ficção, com os conceitos de originalidade e liberdade poética, e com o projecto estético do autor. (Não serão aquelas "falhas" intencionais? Se sim, porquê e para que propósito? E em que casos podemos imputar "falhas" ou "erros" aos poetas?) Tendo em conta a prática concreta do seminário, que consiste essencialmente no comentário detalhado d'Os Lusíadas, reflectir-se-á também amiúde sobre a pertinência do que dizem os intérpretes de textos literários. (A bibliografia inclui ainda textos de Samuel Johnson, William Empson, Stanley Fish, Terry Cochran.)

 

TEO5.922041/ TEO8.922040 Tópicos de Teoria Literária (12 ECTS, S2, 4ª, 9:30-12:30, Maria Sequeira Mendes)

Sobre adopção

Não costumamos pensar que Édipo-Rei, de Sófocles, é uma peça sobre adopção. Talvez este seja o motivo pelo qual são poucos os académicos para quem este é um dos temas fundadores da literatura ocidental. Neste seminário contraria-se essa ideia e analisa-se um conjunto de obras-primas de diferentes períodos históricos, que permitem reflectir sobre o tema. Nalguns desses textos, o tropo da adoção é usado para explorar e questionar a natureza da família, identidade individual e estatuto social. Nalguns casos, nos quais se diz que “choice breeds / a native slip to us from foreign seeds” (All's Well), a família – natural ou adoptiva – é o lugar do afecto. Noutros – talvez mais notavelmente no de Edmund em King Lear – a adopção está negativamente ligada ao engano, à figura do bastardo e aos perigos da mobilidade social. Em Foster, de Claire Keegan, reflecte-se sobre a natureza da pertença, quando esta não se encontra na família na qual se nasceu. Nas diferentes obras, os laços familiares pertencem de forma variada à “ordem da lei” ou à “lei” da natureza, e somos apresentados a uma paisagem literária na qual a “praga do costume”, para tomar emprestados os queixumes de Edmund, define e desafia o que alguns consideram ser categorias naturais.

  

TEO5.922044/ TEO8.922042 Tópicos de Teoria Literária (12 ECTS, S2, 5ª, 14:00-17:00, Joana Matos Frias)

Correspondências incompletas

Os conhecidos versos de Emily Dickinson “This is my letter to the World/ That never wro­te to Me —“  poderão resumir por hipérbole o essencial do tópico a desenvolver, no qual o adjectivo “incompletas” indica menos uma falha quantitativa ou aritmética presumindo uma totalidade semi-imaginária do que uma falha (imaginária ou não) no circuito interlocutivo que a ideia de correspondência enquanto “troca de cartas” pres­supõe. Num dos capítulos-episó­dios de The Posthumous Papers of the Pickwick Club, uma das personagens interroga-se sobre “what these ghosts of mail-coaches car­ry in their bags”, e recebe como resposta: “The dead letters of course”. The dead letters of course parafraseia o tópico: a partir de um conceito abrangente de extra­vio, o seminário vai procurar reconstituir os elementos da vida póstuma de algumas car­tas mortas; serão discutidos papéis emitidos (nem sempre enviados) por Horá­cio, Mariana Alcoforado, Diderot, Rim­­baud, Oscar Wilde, Edgar A. Poe, Zola, Hofmann­sthal, Virginia Woolf, Kafka, Elizabeth Hardwick e Tilda Swinton.

 

TEO6.920301/ TEO9.913606 Seminário de Investigação I (12/30 ECTS, S1, 6ª, 9:30-12:30, João R. Figueiredo)

Projectos de Tese

Este seminário será organizado a partir da discussão de exposições orais dos participantes. As exposições ocupar-se-ão, de uma forma preliminar, de tópicos que os participantes se proponham desenvolver nas suas dissertações. As discussões visarão a modificação desses tópicos. O objectivo final do seminário é a produção, por parte dos participantes, de um resumo escrito e pormenorizado, das suas futuras dissertações.

 

TEO6.920303/ TEO9.913607 Seminário de Investigação II (6 ECTS, S2, datas e programa a anunciar, João R. Figueiredo)

Colóquios de Tese: As Teses da Teoria.

Neste seminário, os participantes (ocupados já com a elaboração das suas teses), apresentam ao grupo, e discutem, em conferências públicas, os resultados ou os pontos de vista que forem elaborando.